Eduardo Nicolau/Estadão
Eduardo Nicolau/Estadão

Animais como arara e macaco viram 'isca' para turistas na Rússia

Em Sochi, vendedores ambulantes oferecem aos visitantes fotos com bichos silvestres por cerca de R$ 6

Ciro Campos, Leandro Silveira e Marcio Dolzan, enviados especiais a Sochi, O Estado de S.Paulo

09 Junho 2018 | 14h25

Movimentado nos finais de semana de verão por moradores e visitantes que buscam aproveitar os dias longos e as tardes ensolaradas, o "calçadão" de Sochi, uma das cidades-sede da Copa do Mundo da Rússia, chama a atenção por atrações polêmicas e pitorescas. Em passagens pelo local em dias diferentes, a reportagem do Estado constatou a presença de animais silvestres como a arara-canindé, a arara-vermelha e macacos.

+ Miranda comemora braçadeira de capitão

+ Tite confirma time com o retorno de Neymar

A presença de animais que não compõem a fauna original da Rússia provoca surpresa e é utilizada como atrativo por comerciantes de Sochi. Eles oferecem aos visitantes fotos com os animais por 100 rublos (aproximadamente R$ 6). Há também ofertas para que os turistas se deixem fotografar com jacarés.

A arara-canindé, a arara-vermelha, os macacos e jacarés são mais conhecidos por comporem a fauna de florestas das Américas, incluindo o Brasil. Já a fauna da Rússia é lembrada especialmente pela presença dos ursos, estampados em vários artigos vendidos a turistas no país, como camisetas e bonés.

Sochi, por sua vez, não possui temperaturas tão rigorosas como a da maior parte do país, pois está no clima subtropical úmido. A cidade também é conhecida por ter um aquário nos seus arredores, que reúne peixes, tubarões e tartarugas marinhas. Além disso, possui um jardim botânico com centenas de espécies de plantas, avestruzes e até papagaios.

Vale lembrar também que o distrito de Adler, nos arredores de Sochi, conta com um instituto científico de primatologia médica. O local ficou mais conhecido mundialmente pela preparação de macacos para voos espaciais experimentais.

Além dos animais silvestres, o "calçadão" de Sochi conta com lojas com o peixe-médico. Trata-se de uma espécie de peixes – a Garra rufa -, utilizada para fins de estética e medicinais. Esses comércios disponibilizam pequenos reservatórios cheios de água para que o interessado coloque partes do corpo, como braços, pernas e cabeça, para o suposto tratamento de problemas na pele e pedicure. A prática, porém, já foi proibida em alguns países, especialmente por aspectos de higiene.

Há também no calçadão de Sochi uma atração muito comum em quermesses e festas juninas no Brasil, os estandes de tiro. Neles, quem acerta o alvo recebe em troca presentes como bichos de pelúcia e brinquedos.

Todas essas "atrações" deverão ganhar ainda mais atenção nos próximos dias, quando o número de turistas em Sochi deve aumentar com a realização da Copa do Mundo. O primeiro jogo do torneio na cidade será na próxima sexta-feira, quando Portugal e Espanha farão o duelo mais aguardado da fase de grupos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.