Aniversariante, Felipe é dúvida no Corinthians

Ainda com dores no ombro direito, o camisa 1 segue como dúvida para o duelo contra líder do Paulistão

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2008 | 19h37

O goleiro Felipe completou 24 anos nesta sexta-feira. E quer comemorar a importante data defendendo o Corinthians diante da Ponte Preta, no domingo. Ainda com dores no ombro direito, o camisa 1 segue como dúvida para o duelo contra a líder do Campeonato Paulista. A decisão sobre sua escalação sai na manhã deste sábado, quando ele promete fazer um trabalho diferenciado e dará sua opinião sobre a escalação ou não. Veja também: Alessandro fora do Corinthians por 3 semanas; Felipe preocupa Para Mano Menezes, 'retranca' é responsável por boa fase Para receber jogos, Fazendinha precisará de poucas obras "Os médicos já têm seu parecer. Amanhã [sábado], vou dar minha opinião. Se estiver bem, vou pedir para jogar", disse. Como o jogo é só no domingo, ainda há bastante tempo para eu me recuperar", observou. Desde sua chegada ao Parque São Jorge, em maio, Felipe desfalcou o time uma única vez, em 51 rodadas. Na sétima rodada do segundo turno do Nacional de 2007: derrota por 1 a 0 para o Botafogo, no Pacaembu. Na época, estava com um quadro de cefaléia (fortes dores de cabeça). Há, ainda, um grande motivo pelo qual Felipe pretende estar em campo no Moisés Lucarelli. Dona Rita, sua mãe, e as irmãs gêmeas Ana Beatriz e Ana Carolina, que moram em Salvador, chegaram nesta sexta a São Paulo para acompanhá-lo defendendo o Corinthians. "Quem sabe não conseguimos vencer a líder Ponte Preta. Aí, depois faríamos a comemoração, todos juntos", espera ele. Nesta sexta-feira, não houve nada de especial. "Ficarei hoje [sexta] em casa, curtindo meus familiares", afirmou Felipe, morador do bairro do Tatuapé. Felipe se machucou contra a Portuguesa, quarta-feira, após um choque no início do jogo. Foram mais de 70 minutos em campo com dificuldades de movimentação. "Mas estava com o sangue quente, na adrenalina do jogo. Agora, tenho um pouco de preocupação. Mas se Deus quiser tudo vai dar certo." O técnico Mano Menezes comemora a atitude de Felipe. "É bom sabermos que todos aqui têm vontade grande de participar dos jogos. Um perfil que fomos buscar", enfatizou, para depois ressalvar. "Há um cuidado que temos de tomar: que essa intenção não ultrapasse o bom senso. Temos de ver se ele tem mesmo condições de jogar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.