Ansioso, Parreira come e dorme menos, mas não reclama

Carlos Alberto Parreira está dormindo e comendo menos. É reflexo da ansiedade por conta da aproximação do início da Copa da Alemanha. Apesar de experiente, de conviver com o ambiente de Mundiais desde 1970, quando foi um dos auxiliares de preparação física da seleção brasileira que conquistou, no México, o tricampeonato mundial, e de ter sido campeão como treinador em 1994, nos EUA, a expectativa pelo início de uma competição ainda mexe com seu metabolismo. ?Estou ansioso, se dissesse que não, estaria mentindo. Nessa época, como menos e durmo um pouco menos", disse Parreira, em entrevista no Hotel Kempinski Falkenstein, na pequenina Königstein, novo quartel-general da seleção. ?Mas está tudo sob controle. É boa essa adrenalina e eu mesmo precisando perder alguns quilos."Nesta terça-feira Parreira estava mais bem-humorado do que em alguns encontros recentes com a imprensa. E embora tenha sido pelo menos a sétima coletiva do treinador desde o início da preparação para a Copa, dia 22 de maio, na suíça Weggis, centenas de jornalistas a acompanharam. Talvez por ter sido a primeira em solo alemão.Antes de começar a falar, Parreira, espantado, contou a quantidade de câmeras de TV apontadas em sua direção: 42. ?Mudou muita coisa desde 70. A preparação, o marketing, as somas envolvidas numa Copa. Tudo está diferente", comentou depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.