Antes da estréia, Guarani troca gerente

O Guarani vai estrear no Campeonato Brasileiro na quinta-feira, contra o Coritiba, na capital paranaense, mas ainda tenta se estruturar para a competição. Uma das medidas tomadas pela diretoria, nesta terça-feira, foi a contratação de um novo gerente de futebol. Assim, entra Osvaldo Pascoal e sai Jair Squarizi.O dirigente, de 45 anos, se apresentou pela manhã no estádio Brinco de Ouro. Ex-jornalista esportivo de sucesso na televisão, ele assume depois da experiência adquirida em alguns clubes como Figueirense-SC, Goiás e Vila Nova-GO. Pascoal foi contratado com a difícil missão de acertar a situação administrativa do clube. "Chego para emprestar minha experiência ao Guarani. Ninguém trabalha sozinho no futebol", comentou.Com esta mudança, espera-se uma mudança radical no departamento de futebol. Dos nove reforços contratados para o Campeonato Brasileiro, nenhum está em condições de estrear. Há ainda outros agravantes. Os uruguaios Mantilla e Sebastian não podem ser inscritos porque o clube está fora do Refis, plano de refinanciamento de dívidas do governo federal. Além disso, o atacante Sandro Hiroshi, ex-São Paulo, foi contratado mas só deve ter condições de jogo dentro de três a quatro meses. Caso semelhante do zagueiro Marcelão, ex-Oeste, que acaba de passar por uma artroscopia no joelho e só deve voltar aos treinos em um mês. O argentino Loscri está sem visto e também não pode ser escalado. Já o artilheiro Viola ficou sem contrato.Enquanto isso, o técnico Joel Santana praticamente definiu o time para a estréia com um esquema defensivo: 3-6-1. Só Evandro Roncatto vai ficar no ataque, uma vez que o meia Alexandre coordenará o meio-de-campo. A provável formação terá Jean; Paulo André, Juninho e Glauber; Marlon, Roberto, Reinaldo, Sidney, Alexandre e Adílio; Evandro Roncatto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.