Antes da final, Cruzeiro ataca presidente da FMF: 'Tem preferência indisfarçável'

Clube questiona Federação Mineira de Futebol antes de jogo contra o Atlético-MG

Estadão Conteúdo

26 de abril de 2017 | 17h10

O clima esquentou na semana do primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro, domingo, entre Cruzeiro e Atlético, no Mineirão. Nesta quarta-feira, a direção da equipe de Mano Menezes mais uma vez criticou o presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Castellar Neto, e o acusou de defender interesses clubísticos.

Tudo começou na manhã desta quarta-feira, quando o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, questionou o "direcionamento" para que o "segundo jogo seja no Independência", com "a torcida do Cruzeiro proibida de ir ao jogo" - o comentário foi feito em referência a uma reunião sobre a segunda partida.

Pouco depois, à Rádio Itatiaia, Castellar Neto retrucou dizendo que a Federação tinha amplo contato com o Cruzeiro e seu presidente, Gilvan de Pinho Tavares, mas ironizou Bruno Vicintin. Segundo ele, o vice de futebol ainda precisava galgar alguns passos antes de falar pelo clube.

O comentário irritou o Cruzeiro. Como já havia feito na véspera do clássico no primeiro turno do Mineiro, em outro problema envolvendo a divisão de ingressos, o clube publicou uma nota atacando Castellar - e sua suposta paixão pelo Atlético Mineiro.

"A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube se sentiu ofendida com as declarações de cunho pessoal, desrespeitosas e agressivas proferidas pelo senhor Castellar Neto, presidente da Federação Mineira de Futebol, dadas à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira", publicou a nota.

Segundo o clube, ao "insultar" Bruno Vicintin, o presidente da FMF mais uma vez teria deixado aflorar o seu lado torcedor. "Aliás, a conduta do senhor Castellar Neto não é surpresa, afinal, o mesmo se trata de um cidadão que tem uma preferência clubística indisfarçável, tendo inclusive, em um passado recente, se fantasiado de mascote do nosso maior rival, e ainda usado a camisa de uma equipe argentina (Estudiantes, em 2009) para comemorar um título de Copa Libertadores."

A diretoria do Cruzeiro, inclusive, chegou a contestar a lisura das últimas duas edições do Campeonato Mineiro. "(A direção) espera que nessa final de campeonato, com total imparcialidade e isenção, sejam disputados dois jogos em igualdade de condições, dentro e fora de campo, sem nenhum favorecimento a qualquer um dos times, diferentemente do que aconteceu nos dois últimos campeonatos, quando o Cruzeiro foi impedido de chegar às decisões com erros escandalosos da arbitragem."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.