Marcos Borga/Reuters
Marcos Borga/Reuters

Antes de chegar ao Santos, Jesualdo diz que será 'terrível, mas apaixonante'

Técnico português será apresentado como novo treinador santista nesta quarta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2020 | 04h35

Jesualdo Ferreira será apresentado como novo técnico do Santos na quarta-feira, na Vila Belmiro, mas deu declarações antes do embarque ao Brasil. O treinador elogiou a história do clube, previu que não será fácil ter êxito no futebol nacional, mas também apostou que vivenciará uma experiência especial na sua carreira. 

"Vamos ver como as coisas vão surgir. Não é uma tarefa fácil, mas vamos determinados para tentar empurrar o projeto do Santos. Foi isso que eu aceitei, foi essa a proposta que me fizeram. Vamos herdar uma equipa que ficou em segundo lugar, é um lugar pesado. Vamos para uma grande equipe, um clube mítico. No Brasil não ganham dois ou três, ganham muitos. É terrível para trabalhar, mas apaixonante. Espero encontrar isso. Estamos entusiasmados, mas também responsáveis, nenhum de nós é um garoto. Sabemos das dificuldades e das nossas capacidades e podemos fazer coisas muito positivas", disse Jesualdo em entrevista ao diário esportivo português O Jogo.

O novo treinador do Santos evitou falar sobre mudanças no elenco, mas deu a entender que elas poderão ocorrer. Jesualdo indicou que a sua primeira preocupação será colocar em campo um time competitivo já para a estreia no Campeonato Paulista, em 23 de janeiro, diante do Red Bull Bragantino, na Vila Belmiro, lamentando o pouco tempo de treinos.

"Não vou falar disso neste momento. Ainda não conversei com os responsáveis. Vamos

tentar, em dez dias, pôr a equipe para competir no campeonato estadual. Não é muito normal entrar em teste dez dias depois de começar a treinar. É uma coisa nova para mim. Simultaneamente vamos conhecer o elenco e preparar o futuro. Ver os jogadores que temos, até porque alguns podem sair entretanto", afirmou.

Conhecido por escalar seus times no 4-3-3, Jesualdo demonstrou conhecer o histórico de times ofensivos do Santos. Mas destacou que o mais importante montar uma equipe segura e que cumpra as metas traçadas.

"Vamos ver qual é o batimento cardíaco daquela gente toda. Lá fala-se muito do DNA ofensivo do Santos, outros dizem que também tem de haver o defensivo. Não vou assumir nada, temos de conversar com os dirigentes para que possamos desenvolver um trabalho com segurança e objetivos claros", comentou.

Antes da viagem, Jesualdo se encontrou com Jorge Jesus, comandante do Flamengo, que conquistou os títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores. O treinador santista explicou que buscou mais informações como é o futebol do País.

"Há um ano e meio, quando o Jorge Jesus foi para a Arábia, almoçamos para que eu o pudesse informar sobre o futebol do Golfo. Agora almoçamos e falamos sobre a experiência dele no Brasil. Ele é um apaixonado pelo futebol brasileiro. Não pode ser outra coisa que não paixão. Ninguém pode ficar indiferente ao que aconteceu com ele", comentou.

Jesualdo, de 73 anos, assinou contrato até o final de 2020 para substituir o argentino Jorge Sampaoli à frente da equipe do Santos. Será sua primeira passagem por um clube da América do Sul. O ponto mais alto de sua trajetória foi o tricampeonato português, conquistado no comando do Porto - 2006/2007, 2007/2008 e 2008/2009. Seu último trabalho foi no Al-Sadd, do Catar, clube que ele deixou no primeiro semestre de 2019.

Para a temporada 2020, além de Jesualdo, o Santos se reforçou com o lateral-direito Madson, trocado com o Grêmio por Victor Ferraz, e o atacante Raniel, numa negociação em que o clube cedeu Vitor Bueno ao São Paulo.

Para Entender

Mercado da Bola

Veja as principais negociações do futebol brasileiro. Clubes se movimentam para tentar se reforçar visando a próxima temporada

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.