Site Oficial / Guarani
Site Oficial / Guarani

Antes de clássico com Guarani, pontepretano morre em confronto de torcidas

Mesmo em jogo de torcida única, fãs dos dois times brigam a 5km do estádio Brinco de Ouro e um deles é baleado

O Estado de S.Paulo

05 Maio 2018 | 14h21

*Atualizado às 22h01

Algumas horas antes da realização do dérbi 191 de Campinas, que terminou com vitória da Ponte Preta sobre o Guarani, o saldo da violência foi negativo. Confusões ocorridas no período da manhã deixaram um torcedor morto e outro gravemente ferido. A vítima fatal é Leonardo Daniel Bernardes Silva, de 18 anos, torcedor pontepretano e que estava envolvido num conflito no bairro São Bernardo, por volta das 11 horas.

+ Após 5 anos, Guarani e Ponte Preta voltam a se enfrentar

+ Tensão marca clima pré-dérbi na cidade de Campinas

+ Confira a tabela da Série B do Brasileiro

Segundo o coronel da Polícia Militar, Merci Elber Resende, já existe um suspeito do crime. O nome está sendo mantido em sigilo para não atrapalhar as investigações. "Vamos encaminhar tudo que temos para a Polícia Civil para que faça as investigações e a coleta de provas", disse o militar.

Segundo ele, fora este caso isolado, não ocorreram outros conflitos de relevância na cidade. "Infelizmente são grupos de baderneiros que marcam encontros e entram em confrontos. Mas o esquema de segurança ao redor do estádio está funcionando normalmente. Nós estamos reforçando a vigilância em alguns pontos isolados da cidade", concluiu o comandante, que destacou 300 policiais para a segurança.

CONFLITO

Na manhã deste sábado (perto das 11 horas), houve uma confusão entre torcedores no bairro de São Bernardo, a 5 km do estádio Brinco de Ouro. Um grupo de pontepretanos teria ido até a casa de um membro da Torcida Organizada Fúria Independente do Guarani, situado na Rua Alagoas. Eles estavam munidos de pedras e paus, como mostram algumas imagens que circulam nas redes sociais.

Após a tentativa de invasão da casa, teria ocorrido o revide ou a defesa. Vários tiros foram ouvidos e o grupo voltou correndo na rua. O estudante de ensino médio Leozinho caiu baleado no chão. Ele foi carregado por amigos e levado de carro ao Hospital Ouro Verde, mas logo se confirmou a morte.

Um outro conflito teria ocorrido na Vila Industrial, perto do teatro Municipal Castro Mendes, por volta do meio-dia. Raul Cardoso foi agredido por um grupo de torcedores não identificados por preferência clubística e encaminhado ao Hospital Mário Gatti com ferimentos múltiplos. O seu estado é grave.

Justamente por causa da violência, o dérbi foi marcado por torcida única, procedimento que tem sido adotado em outras cidades, como a capital São Paulo. Ao redor do estádio, o movimento foi tranquilo pela manhã, quando foram vendidos os últimos ingressos. A polícia só agiu contra vários cambistas. Quatro foram presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.