AFP
AFP

Antes de encarar Alemanha, técnico espanhol rejeita favoritismo na Copa

Julen Lopetegui elogiou o adversário, atual campeão do mundo e da Copa das Confederações

O Estado de S.Paulo

22 de março de 2018 | 17h06

O técnico Julen Lopetegui rejeitou o favoritismo para a Espanha na Copa da Rússia. Para ele, o mais importante no momento é a preparação final de sua seleção. Nesta sexta-feira, às 16h45 (Brasília), o treinador enfrenta a Alemanha no amistoso entre as duas últimas campeãs do mundo em Dusseldorf.

+ Diego Costa cobra vitórias sobre Alemanha e Argentina para Espanha ganhar confiança

"Os comentários e os rótulos prévios nos interessam pouco. Queremos aproveitar essa bela e exigente partida contra os atuais campeões do mundo, em seu estádio. Isso já é o suficiente para buscarmos fazer uma boa apresentação", afirmou.

O treinador espanhol fez questão também de elogiar o adversário, especialmente o treinador Joachim Löw, que venceu a Copa do Mundo do Brasil com um time e, três anos mais tarde, conseguiu faturar a Copa das Confederações com um elenco totalmente modificado, formado basicamente por jogadores menores de 23 anos.

"A trajetória dele fala por si só. Ganhou muitos títulos e conseguiu consolidar uma geração de jogadores com estilo definido. Ele conseguiu fazer com que a seleção jogue como uma equipe. Tem toda a nossa admiração."

A proximidade com o final da temporada e o desgaste de seus jogadores também foram comentados por Lopetegui. "Somos conscientes do momento em que estamos, mas também da nossa oportunidade de nos prepararmos para o Mundial. Tentaremos fazer o de sempre, jogar bem, conseguir um bom resultado e que todos tenham protagonismo", afirmou. 

Lopetegui não revelou a escalação da equipe. São ao menos duas dúvidas para a partida. A primeira é o substituto de Sergio Busquets, que se recupera de uma lesão no pé direito. A outra é a presença do zagueiro Piqué, que ficou fora dos dois últimos dias de treino da Espanha por febre. "Ele está melhor, mas estamos atentos a sua recuperação", despistou.

O amistoso ainda terá gosto especial para o defensor Sergio Ramos, pois ele completará 150 jogos com a camisa da seleção espanhola. "É um momento diferente. Representar meu país é sempre muito especial, fico ainda mais feliz por ser capitão. Espero ainda continuar por mais tempo e me tornar o jogador que mais vezes vestiu essa camisa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.