Filipe Costa/Divulgação
Filipe Costa/Divulgação

Antes de finais, Campeonato Carioca amarga fracasso de público

Botafogo e Flamengo detêm recorder de piores públicos no Estadual

Ronald Lincoln Jr., Agência Estado

31 de março de 2014 | 19h21

RIO - O que se notou no Maracanã durante os jogos das semifinais do Campeonato Carioca só confirma o que já se desenhava ao longo da competição: estádios vazios, mesmo diante da importância das partidas para a definição do título estadual. Nos dois clássicos entre Vasco e Fluminense, por exemplo, houve menos de 30 mil pagantes. Nos dois confrontos do Flamengo contra a Cabofriense, cerca de 10 mil pessoas.

Fica mais gritante a situação do Carioca ao se notar que os jogos dos times de grande torcida tiveram públicos pífios. Com a eliminação antecipada o Botafogo, atual campeão, enfrentou o Nova Iguaçu, na última rodada da Taça Guanabara diante de apenas 446 torcedores em Moça Bonita e, anteriormente, 582 contra o Bonsucesso.

Mas a baixa adesão dos torcedores não é exclusividade do Botafogo. O segundo pior público entre os grandes é do Flamengo, dono da maior torcida do Brasil, que levou somente 450 pessoas também contra o Bonsucesso. O Fluminense não havia jogado para menos de mil até a última rodada da Taça Guanabara, em que enfrentou o Volta Redonda com a presença de 989 torcedores. O Vasco foi o único que teve sempre mais de mil presentes.

"Realmente jogar com 10, 15 mil torcedores é algo que preocupa", disse o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, à Agência Estado. Acostumado, quando jogador, a atuar em estádios cheios, ele acredita que se o número de jogos dos grandes forem reduzidos, os jogadores renderão mais e as partidas terão mais qualidade. O dirigente também defendeu a diminuição dos preços dos ingressos. "O preço deve ser compatível com a demanda. Se diminuir 20% ou 30% dá para ganhar na quantidade. Prefiro arrecadar R$ 1 milhão e ter 50 mil torcedores, a ganhar R$ 500 mil, com 5 mil."

O desinteresse dos torcedores dos grandes clubes fica ainda mais explícito se comparado à Série B do Carioca, que contabilizou públicos melhores. O América recebeu 966 pessoas em Edson Passos em jogo contra o Ceres. O Goytacaz, da cidade de Campos, ostenta o melhor público da divisão: chegou a levar 1.811 torcedores em partida contra o Quissamã e nunca menos de mil pessoas jogando em seu estádio.

Diante da falta de atrativos, o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, anunciou a criação de um fórum de debates para melhorar as próximas edições do Campeonato Carioca. Nesse fórum, que contará com a participação de clubes e de todos os setores envolvidos com o futebol no Rio, será discutida a redução do número de times, e consequentemente o de jogos, diminuição dos preços dos ingressos, criação de horários mais acessíveis, melhoria das condições dos estádios, entre outros temas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato Cariocapúblico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.