Fernando Alvarado / EFE
Fernando Alvarado / EFE

Antes de final, Zidane admite preocupação com trio de ataque do Liverpool

"São três jogadores diferentes que têm jogado juntos muito bem durante toda a temporada. E têm marcado muitos gols"

Estadão Conteúdo

21 de maio de 2018 | 16h34

Com o fim do Campeonato Espanhol, no domingo, o Real Madrid vai passar a concentrar toda a sua atenção nos próximos dias na final da Liga dos Campeões, no sábado. E o técnico Zinedine Zidane já admite preocupação com o trio de ataque do Liverpool, formado por Roberto Firmino, Mohamed Salah e Sadio Mané.

+ Operado, defensor Joe Gomez desfalcará Liverpool em final e está fora da Copa

"A principal força do Liverpool são os seus três atacantes. São três jogadores diferentes que têm jogado juntos muito bem durante toda a temporada. E têm marcado muitos gols", disse Zidane, nesta segunda-feira, ao fim do primeiro treino do Real na semana.

Apesar de vir de dois títulos consecutivos na Liga dos Campeões, o treinador descartou o favoritismo e valorizou o rival inglês, considerado uma surpresa nesta final. "Pode ser a final mais complicada que já tenhamos jogado", alertou Zidane. "Certeza que não vamos encarar o Liverpool como um rival mais fraco que os demais. Eles ganharam o direito de jogar esta final graças as suas boas atuações. Eliminaram times de primeiro nível."

Para Zidane, a longa trajetória do adversário na Liga dos Campeões atenua o fato de que o time não disputava a final desde 2007. "É um clube de grande história e sabe como jogar este tipo de partidas. Teremos que dar o melhor de cada um de nós, em todos os níveis, e não somente fisicamente. É um time que confia muito em seus atributos físicos e que também é muito boa tecnicamente, com muita velocidade e grandes jogadores", declarou o treinador.

A aguardada final da Liga dos Campeões está marcada para as 15h45 de sábado, no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.