Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Antes da folga, Brasil duela com Uruguai em busca de vantagem no Pré-Olímpico

Time comandado por André Jardine estreou com vitória diante do Peru

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2020 | 04h37

Antes da folga programada, o Brasil tem chance de abrir vantagem confortável na liderança da sua chave do Torneio Pré-Olímpico da América do Sul. É esse o cenário que a seleção sub-23 buscará consolidar nesta quarta-feira, às 22h30 (horário de Brasília), quando enfrenta o Uruguai, em Pereira, na Colômbia, pela segunda rodada do Grupo B.

O Brasil estreou no torneio classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio com triunfo por 1 a 0 sobre o Peru, no domingo, com o gol marcado por Paulinho, atacante do Bayer Leverkusen. A chance de se distanciar na ponta ocorre por se tratar de "duelo de líderes".

Adversário do Brasil, o Uruguai foi a outra equipe a triunfar na rodada inicial do Grupo B, tendo batido o Paraguai por 1 a 0, com o gol de Diego Rossi, que já atua no futebol profissional dos Estados Unidos. Assim, uma vitória pode deixar a seleção dirigida por André Jardine, ex-São Paulo, em cenário favorável para os últimos dois compromissos na etapa de grupos do qualificatório.

Cada chave do Pré-Olímpico conta com cinco seleções, o que leva uma delas a folgar por rodada. O descanso do Brasil será na próxima jornada, a terceira, agendada para sábado. Assim, a seleção brasileira terá seis dias de descanso entre o duelo com o Uruguai e o seu próximo, na terça-feira, diante da Bolívia. Pode se preparar melhor e ganhar mais entrosamento.

Apesar disso, o desgaste físico é um fator que preocupa Jardine, especialmente porque 17 dos 23 jogadores que compõem o grupo estavam no futebol brasileiro e em férias quando se apresentaram em Teresópolis (RJ) para se preparar ao Pré-Olímpico. O treinador, portanto, poderá "rodar" o elenco nessa e nas próximas rodadas, especialmente se o Brasil avançar o quadrangular final antecipadamente, algo possível caso vença os três primeiros compromissos.

"Nós somos um grupo extremamente qualificado. Todos os jogadores sabem da qualidade de cada um. O Pré-Olímpico é competição de tiro curto, mas que dá oportunidade para todos jogarem. Time muito qualificado e todos trabalham muito forte para buscar a titularidade", afirmou o volante Maycon, do Shakhtar Donetsk. Ele entrou em campo no segundo tempo do duelo com o Peru.

MUDANÇA

Uma alteração no Brasil já é certa para o confronto com o Uruguai. Matheus Cunha, do RB Leipzig, assumirá o comando do ataque. Ele ficou fora da partida de domingo por sentir mal-estar. Assim, Yuri Alberto, do Santos, deixará o time. Com o atacante do clube alemão, a seleção espera aumentar sua produção ofensiva após a estreia irregular. "Estamos conscientes do quanto temos de evoluir", disse Jardine, que voltará a manter Reinier, anunciado na segunda-feira como reforço do Real Madrid, no banco de reservas.

Assim, o Brasil deve entrar em campo com a seguinte formação: Ivan; Guga, Nino, Robson Bambu e Caio Henrique; Bruno Guimarães, Matheus Henrique e Pedrinho; Antony, Paulinho e Matheus Cunha.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.