Loic Venance/AFP
Loic Venance/AFP

Antes de morrer em queda de avião, Sala reclamou que não queria mudar de clube

Argentino enviou áudio a familiares para dizer que não queria ser negociado pelo Nantes

Redação, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2019 | 11h35

O jornal francês L'Equipe revelou nesta quarta-feira um áudio enviado pelo atacante Emiliano Sala, morto em um acidente de avião em janeiro deste ano. Em uma mensagem de voz encaminhada a um familiar duas semanas antes de morrer, o jogador argentino afirmou que não queria deixar o Nantes, da França, e criticou a diretoria por ter sido negociado.

Sala foi vendido ao Cardiff, do Reino Unido, para onde viajou de avião em 21 de janeiro para se apresentar e começar o trabalho na nova equipe. Porém, o avião que transportava o atacante de 28 anos sumiu Canal da Mancha. Os destroços e o corpo do jogador só foram encontrados em 7 de fevereiro, a cerca de 67 metros de profundidade, depois de semanas de buscas e de poucas informações sobre as causas do acidente.

"Há uma oferta de Cardiff hoje. Eles negociaram para conseguir muito dinheiro e, definitivamente, querem que eu vá para lá. É verdade que é um bom contrato, mas do ponto de vista do futebol não é interessante para mim. Eles estão tentando de todas as maneiras me levar para lá", disse Sala, em gravação divulgada pelo jornal francês. O atacante estava no Nantes há quatro temporadas.

O argentino reclamou da diretoria, em especial o dono do Nantes, Waldemar Kita. "Eu não quero falar com o Kita, porque não quero ficar com raiva. Ele é alguém que me enoja quando estou cara a cara com ele. Hoje, ele quer me vender para o Cardiff porque fez uma super negociação. Ele vai conseguir o dinheiro que quer", reclamou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.