Antes de sair do ar, comercial envolvendo Neymar já era investigado

Comissão de Direitos Humanos da Câmara havia feito pedido para que o Conar retirasse a propaganda

O Estado de S. Paulo

14 de março de 2014 | 12h14

SÃO PAULO - A propaganda do Guaraná Antarctica estrelada por Neymar, que recebeu solicitação para que fosse retirada do ar pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara nesta semana, já causava polêmica em outros setores. De acordo com o site UOL, o comercial também vinha sendo alvo de investigação do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) por causa das cerca de 60 reclamações contra a campanha.

De acordo com os manifestantes, o comercial incita brasileiros a praticar bullying com estrangeiros que virão ao Brasil para acompanhar a Copa do Mundo. Na propaganda, o atacante do Barcelona e da seleção brasileira escreve bilhetes ensinando, de forma errônea, como os turistas devem pedir o refrigerante nos balcões dos bares e restaurantes do Brasil.

O comercial feito pela agência de publicidade DM9DDB para a Ambev (proprietária da marca do refrigerante) pode ser vetada de forma definitiva até o fim deste mês. A reportagem do Estado apurou que o Conar já havia recebido reclamações de diversos consumidores, que alegaram preconceito contra estrangeiros. Para definir as diretrizes, o conselho deve se reunir no próximo dia 19.

Antes disso, a propaganda foi alvo da Comissão dos Direitos Humanos, que por meio do deputado Marcos Rogério (PDT-RO) aprovou um requerimento para pedir a retirada do comercial do ar ao Conar. De acordo com o autor do projeto, a campanha trata da "promoção do Bullying, sua forma de praticá-lo, determinando inclusive seu público alvo: o turista em visita ao Brasil, no ano em que se realiza a Copa do Mundo".

Porém, antes mesmo de a Câmara aprovar o requerimento, o comercial já havia sido retirado do ar pela própria DM9DDB no último dia 11. Em nota, a Ambev disse que nunca teve a intenção de discriminar ou ofender os turistas estrangeiros. Para substituir o polêmico comercial, outra propaganda estrelando Neymar deve entrar na programação das TVs na próxima semana.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolpolêmicacomercialneymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.