Gustavo Simão/Fortaleza
Gustavo Simão/Fortaleza

Antigos rivais, Rogério Ceni e Corinthians se encontram na Arena Castelão

Alvinegro vai a Fortaleza, às 19h, enfrentar técnico pela 1ª vez desde que ele deixou o São Paulo

Daniel Batista e João Prata, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2019 | 04h30

No comando do Fortaleza, Rogério Ceni enfrenta o Corinthians pela primeira vez desde que deixou o São Paulo em 2017. O encontro acontece nesto domingo, às 19h, na Arena Castelão, pela 12.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

De maneira geral, o retrospecto dessa rivalidade é favorável ao Corinthians. Como jogador, foram 97 partidas, sendo 21 vitórias do São Paulo, 21 empates e 25 derrotas. Na função de técnico do time do Morumbi, duas derrotas e dois empates. O Corinthians também foi o clube que mais marcou gols em Ceni quando ele era goleiro da equipe paulista. Foram 95 no total.

"Em São Paulo, era um clássico bem disputado sempre. Aqui em Fortaleza, é a primeira vez. Vamos nos virar, somos uma equipe que compete muito até o fim e vamos tentar fazer frente ao Corinthians, assim como fizemos a outras grandes equipes do Nacional", disse Ceni.

Para a partida, o agora treinador não quis confirmar a escalação do Fortaleza, que anda na parte inferior da tabela. A tendência é que forme um ataque com jogadores rodados, como a dupla Kieza e Wellington Nem. A dúvida é se coloca desde o início o ex-são-paulino Osvaldo, que se recuperou recentemente de problema muscular. A tendência é que inicie o jogo no banco, com Edinho de titular.

No Corinthians, o técnico Fábio Carille também não definiu se poupará alguns titulares. Isso porque ele tem oito jogadores pendurados com dois cartões amarelos: Cássio, Clayson, Avelar, Fagner, Jadson, Júnior Urso, Sornoza e Vagner Love. E na próxima rodada terá o clássico com o Palmeiras na Arena Corinthians, em Itaquera.

O treinador também demonstrou preocupação com o desgaste físico de alguns atletas, já que na próxima quinta fará o jogo de volta com o Montevideo Wanderers pelas oitavas da Sul-Americana – o time do Brasil venceu o primeiro confronto por 2 a 0.

"A gente monta a equipe juntamente com as avaliações dos médicos do clube. Tem o Fortaleza, depois o jogo de volta da Sul-Americana no Uruguai e em seguida um clássico em casa. Vamos esperar como os jogadores vão se apresentar", disse.

O único desfalque certo é do meia Sornoza, que não viajou a Fortaleza por causa de dores na coxa direita. Araos e Janderson também não foram relacionados, mas por opção do treinador. A boa notícia é que Gustagol está de volta, recuperado de problemas musculares. Ele começará no banco. Carille cobrou mais precisão dos atacantes, porque no duelo com o rival uruguaio na última quinta-feira, os jogadores desperdiçaram boa oportunidade de golear e encaminhar a vaga para a próxima fase da competição.

"Precisamos ter uma precisão melhor. Temos chegado mais, mas agora precisa de uma precisão melhor, muitas vezes tirar a força e acertar o gol. Estamos evoluindo jogo a jogo e isso é o mais importante", admitiu o treinador corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.