Antônio Carlos será operado neste sábado

A contusão que o zagueiro Antônio Carlos sofreu no jogo de quinta-feira contra a Portuguesa é grave e ele será submetido amanhã às 9 horas, a uma cirurgia no Hospital São Luís, na Capital, pelo médico Joaquim Grava, o mesmo que operou a outra perna do atleta no ano passado. "Ele sofreu uma ruptura do tendão adutor da coxa direita, confirmando a necessidade da intervenção cirúrgica", comentou o médico do Santos, Carlos Braga, que prevê o retorno do jogador ao futebol dentro de 30 a 45 dias. Já em relação ao lateral-esquerdo Léo, Braga comentou que ele teve um estiramento muscular no adutor da coxa direita e está fora do jogo de domingo contra a Ponte Preta, em Campinas. O médico vê possibilidade do retorno do atleta na quinta-feira, contra o Mogi Mirim. "Ele repetirá a ultra-sonografia na terça-feira para constatar a cicatrização da região e para saber se pelo menos ele pode treinar". Léo lamentou a situação. "Não estou acostumado com isso, mas não vai dar mesmo para jogar domingo", disse ele, que viajou com a delegação para Atibaia. "Vou me tratar e treinar, pois não abro mão disso, mas não está dando nem para bater na bola, porque dói muito", comentou o lateral. Basílio, que também foi substituído na quinta-feira, está liberado porque teve apenas dores musculares. Ele ficará em repouso até momentos antes do jogo e Oswaldo Oliveira poderá escalar o atacante. A contusão de Antônio Carlos surpreendeu Carlos Braga, porque foi na coxa direita. "Algum acidente poderia ocorrer na coxa operada no ano passado, mas sendo na coxa direita, foi uma novidade. E ele não apresentou em nenhum momento do ano passado dor nesse adutor, por isso a nossa surpresa". Carlos Braga comentou que a pré-temporada foi muito breve. "Não deu chance para uma adaptação neuro-muscular e até que não tivemos muitas lesões de ligamentos, porque o jogador não está adaptado". ROBINHO - Oswaldo de Oliveira pode repetir a experiência de escalar três atacantes, com Robinho posicionado mais atrás, como meia. "O Robinho tem característica de se movimentar bastante e evoluir driblando, tabelando e passando a bola. Por isso optei em colocá-lo nessa função, para que ele puxasse a marcação e abrisse espaço aos seus companheiros". Mas o treinador fez uma ressalva: "posso manter esse esquema desde que o Robinho se adapte melhor à nova função". O treinador comentou que, além do calendário apertado, cederá Robinho e Elano para o amistoso da seleção em Hong Kong. "A seleção é prioritária, mas eu acho que os jogadores poderiam ser poupados. Tenho certeza de que vamos precisar mais deles do que a seleção e eles podem chegar lá e nem entrar em campo". Ele está preocupado porque no retorno dos dois atletas, o Santos terá o clássico contra o Corinthians e a estréia na Libertadores da América, contra o Bolivar, em La Paz. "Possivelmente, seremos prejudicados com a ausência desses jogadores". Para Oswaldo de Oliveira, seu esquema não teve três atacantes, na medida em que um deles atuou como meia. Lembrou que já adotava essa formação no São Paulo e no Corinthians. "A formação é com três atacantes, mas eles podem desempenhar função diferente". Na medida do possível, ele vai procurar manter domingo em Campinas o time com os jogadores que já se conhecem da temporada passada, pois esse entrosamento é considerado importante por Oswaldo de Oliveira e fez a diferença na goleada de 5 a 1 contra a Portuguesa de Desportos, quinta-feira na Vila Belmiro. Tanto que Domingos deverá ser mantido ao lado de Ávalos e Fábio Baiano só jogará caso Basílio seja vetado. Giba deverá ser o lateral-esquerdo, substituindo Léo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.