Antonio Lopes nega ter relação com caso do jogador Leomar em 2001

Coordenador da seleção na época disse desconhecer suposta propina por convocação

SÍLVIO BARSETTI E TIAGO ROGERO, Agência Estado

21 de março de 2013 | 17h01

RIO - Acabou há pouco o depoimento de Antonio Lopes na sede do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no centro do Rio. Ele foi ouvido por 26 minutos pelo auditor Miguel Cançado e o procurador do STJD, Paulo Schmitt, e negou envolvimento em esquema de corrupção para a convocação do jogador Leomar, em 2001, para a Copa das Confederações. Na época, Lopes era o coordenador da seleção.

Pouco antes de Antonio Lopes, o então técnico da equipe, Emerson Leão, também deu explicações ao tribunal e, assim como o seu antigo coordenador, disse desconhecer atos ilícitos em convocações de seleção brasileira.

"Causou surpresa essa denúncia, ficamos chateados, porque atingiu todos da comissão técnica que trabalhavam na seleção em 2001", disse Lopes. Ele se referia à declaração do presidente do Sport, Luciano Bivar, que, há duas semanas, afirmou que a convocação de Leomar para a seleção naquele ano só foi efetivada após pagamento de propina. Não disse, porém, quem teria sido beneficiado.

O STJD ainda vai agendar o depoimento de Leomar, que deve falar ao tribunal provavelmente após o feriado da Semana Santa. Depois disso, o STJD decidirá se abre processo para apurar responsabilidades no caso. Por enquanto, o que está em curso é o inquérito aberto por decisão da presidência do STJD.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.