Ao oficializar saída de Osorio, São Paulo exalta 'legado do Profe'

Um dia após Carlos Miguel Aidar confirmar a saída de Juan Carlos Osorio por meio de uma nota oficial, que serviu também para ele pedir a saída de todos os diretores do futebol do São Paulo pela ''pacificação'' do clube, o time do Morumbi publicou uma outra nota na manhã desta quarta-feira para exaltar o "legado" deixado pelo técnico colombiano no curto período de pouco mais de quatro meses em que esteve à frente da equipe.

Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2015 | 12h21

Na nota, intitulada "Legado do Profe", o São Paulo ressaltou que Osorio trilhou com seu trabalho um caminho que deixará o clube "mais forte na busca por títulos nesta e nas próximas temporadas". "No período em que esteve no comando da equipe, o técnico conduziu o São Paulo à semifinal da Copa do Brasil - nos dias 21 e 28, a equipe enfrentará o Santos - e acirrou a disputa por uma vaga no G4 do Campeonato Brasileiro. Sua filosofia de trabalho encantou torcedores, elenco e despertou o interesse da Femex (Federação Mexicana de Futebol), que procurava um treinador desde a saída de Miguel Herrera", lembrou o clube.

A ousadia de Osorio e as suas corajosas iniciativas para um técnico estrangeiro que acabara de chegar a um clube brasileiro também foram destacadas pelo clube. "O legado do colombiano do time são-paulino, no entanto, deve ser exaltado. Adepto do rodízio no elenco para contar com o maior número possível de jogadores em condições de jogo, o técnico utilizou todos os atletas à disposição e lançou jovens promessas, como o zagueiro Lyanco, o lateral-esquerdo Matheus Reis e o atacante João Paulo", continuou a nota oficial.

O papel tático assumido pelo técnico, que mostrou não ter medo de atuar de forma ofensiva, fato que por algumas vezes fez o time pagar caro com derrotas, também não foi esquecido pelo São Paulo, que enumerou os ganhos que o time teve com essa iniciativa implementada pelo comandante.

"Osorio conseguiu tirar o melhor de cada atleta e ''descobriu'' novas funções táticas de cada um. O centroavante Alexandre Pato, que vive a sua melhor fase na carreira, assumiu um novo papel atuando pela ponta esquerda e deu nova cara ao sistema ofensivo do Tricolor, que também conta agora com o polivalente lateral-esquerdo Carlinhos - na ponta direita, o camisa 6 também se destacou. Assim como a dupla, Thiago Mendes e Breno também aproveitaram a oportunidade para assumir novas funções. O ex-jogador do Goiás, que chegou ao São Paulo como armador, se firmou no time atuando como volante e ganhou a confiança da torcida com atuações seguras. Já Breno, zagueiro de ofício, ganhou moral atuando como primeiro homem de marcação no meio de campo e rendeu mais uma opção para o setor", analisou a nota oficial.

MÉXICO EXIGE SAÍDA - O São Paulo enfatizou que Osorio tentou acertar com a seleção mexicana a sua permanência no clube pelo menos até o término da Copa do Brasil, mas não teve sucesso neste pedido. "Vale lembrar que com o intuito de permanecer no Tricolor até o término da Copa do Brasil, o comandante fez o possível para não interromper o seu trabalho, mas não conseguiu convencer os dirigentes do México", pontuou.

Após 29 jogos no comando do São Paulo, com o qual acumulou 13 vitórias, sete empates e nove derrotas, Osorio agora irá dirigir a seleção mexicana com o objetivo principal de poder levar o país à Copa do Mundo de 2018, na Rússia, onde ele espera realizar sonho de trabalhar pela primeira vez em um Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.