Ben Stansall/AFP Photo
Ben Stansall/AFP Photo

Aos 27 anos, Moses anuncia aposentadoria da seleção nigeriana: 'Focar no Chelsea'

Jogador defendeu a seleção de seu país nas duas últimas edições da Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

15 Agosto 2018 | 14h22

O atacante Victor Moses anunciou nesta quarta-feira que, aos 27 anos, vai se aposentar da seleção da Nigéria. O jogador do Chelsea representou o país dele nas duas últimas Copas do Mundo, nas quais foi titular em ambas e disputou as oitavas de final no Brasil, em 2014, quando foi eliminado pela França.

"Gostaria de anunciar que, depois de pensar muito, tomei a decisão de me aposentar do futebol de seleções. Tive as melhores experiências da minha vida vestindo o uniforme da Nigéria e tenho memórias que vão durar a minha vida toda. Nada vai competir com o sentimento de representar o meu país", disse Victor Moses em comunicado publicado no Twitter.

De acordo com o nigeriano, a prioridade dele, no momento, é defender o Chelsea. "Acho que é o tempo certo para sair de cena e focar apenas na carreira em meu clube e na minha jovem família. Também abre a possibilidade para uma nova geração da Nigéria se apresentar e florescer. Somos abençoados como nação por formarmos tantos jovens jogadores excitantes", afirmou o agora ex-atacante da seleção, treinada pelo alemão Gernot Rohr.

"Já falei com nosso técnico pelo telefone e gostaria de dizer obrigado a ele, comissão técnica, Federação Nigeriana de Futebol e todos os meus colegas de seleção pelo apoio prestado ao longo dos anos. Significou o mundo para mim e minha família e sempre serei um torcedor da Nigéria. Obrigado pelas lembranças e boa sorte para o time no futuro", concluiu o jogador.

Convocado desde 2012, Victor Moses disputou 37 partidas pela seleção e marcou 12 gols, um deles na última Copa do Mundo, na Rússia, na derrota por 2 a 1 para a Argentina, resultado que eliminou a Nigéria da competição na fase de grupos. O atacante também disputou uma vez a Copa das Nações Africanas, em 2013, e foi campeão do torneio.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.