Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Aos 31 anos, Higuaín anuncia aposentadoria da Argentina: 'Para alegria de muitos'

Centroavante não é convocado desde a última Copa do Mundo, na renovação promovida por Scaloni

Redação, Estadão Conteúdo

28 de março de 2019 | 16h22

O centroavante Gonzalo Higuaín anunciou nesta quinta-feira que não jogará mais pela seleção da Argentina. O jogador do Chelsea, de 31 anos, está há oito meses sem ser chamado ao time nacional, agora comandado pelo técnico Lionel Scaloni, e fez o anúncio em um programa de TV da FOX Sports argentina.

"Pensei profundamente e o meu ciclo na seleção terminou. Agora quero desfrutar com a minha família. Para alegria de muitos e de outros nem tanto, o meu ciclo chegou ao fim", revelou Higuaín, que marcou 31 gols em 75 partidas com a camisa da Argentina. "Scaloni me escreveu e eu disse que meu tempo na seleção tinha terminado".

O centroavante sempre foi muito criticado devido à falta de eficiência nas três finais perdidas em dois anos a serviço da seleção da Argentina: a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, quando perdeu um gol cara a cara com o goleiro alemão Manuel Neuer; e as Copas Américas de 2015 e de 2016 (edição especial pelo centenário da Conmebol), ambas para o Chile.

"Na Argentina, fala-se mais dos gols que eu perdi que os que marquei. Os gols nas Eliminatórias são tão importantes como os do Mundial. Vi sofrer muito a minha família", revelou. "Chegar a uma competição e poder jogar as finais... se isso é fracassar, então não sei de nada. Fracassar é não conseguir se classificar para uma Copa do Mundo, é uma palavra forte", completou.

Higuaín está atualmente no Chelsea, a pedido do técnico italiano Maurizio Sarri, com quem trabalhou no Napoli. Ele foi emprestado pela Juventus e na Europa já jogou também pelo Real Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.