Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Aos 34 anos, Ricardo Oliveira deve voltar para o futebol paulista

Empresário do jogador disse que negocia com clube da capital; Corinthians e Santos são os favoritos

O Estado de S. Paulo

05 de janeiro de 2015 | 07h00

Aos 34 anos de idade, Ricardo Oliveira busca um clube para jogar no Brasil e hoje seu empresário começa a negociar com um clube para o jogador, que no Brasil já defendeu São Paulo e Santos e foi formado pela Portuguesa.

A julgar pelo que disse seu empresário do jogador, seu destino não será o Palmeiras, apontado como mais provável candidato há poucas semanas. “Com o Palmeiras já está descartado. Eles tinham outro atacante em mente e acabaram fechando com o Leandro”, explicou Oldegard Filho, ao portal UOL.

Segundo Oldegard, ele começará as negociações “com um dos outros três de São Paulo”, mas não quis revelar o possível destino. Como o São Paulo já conta com Alexandre Pato, Luis Fabiano e Alan Kardec no ataque, e o Palmeiras foi descartado, as apostas maiores recaem sobre Santos e Corinthians.

Os dois Alvinegros possuem bons motivos para querer os serviços do atacante. O Corinthians, por exemplo, não tem no elenco um substituto à altura de Paolo Guerrero - que pode deixar o clube no segundo semestre caso não acerte sua renovação de contrato - enquanto os santistas perderam Leandro Damião para o Cruzeiro e carecem de peças de qualidade.

Com um histórico de lesões nos joelhos, Ricardo Oliveira está disposto inclusive a assinar um contrato curto para provar que está em boas condições físicas. Dinheiro também não é problema; ciente de que não tem como receber salários como na época em que esteve no Mundo Árabe, ele já adiantou ao seu agente que topa receber um valor menor no Brasil. Seu principal desejo é mostrar que ainda pode ser importante.

PALMEIRAS

Enquanto tenta reforçar o elenco e procura nomes como Réver e Rafael Marques, o Alviverde procura destino para os jogadores que voltam de empréstimo e não serão aproveitados. Entre os regressos estão Maikon Leite, João Denoni, Caio Mancha e Patrik.

SÃO PAULO

Ainda procurando um zagueiro, o São Paulo dificilmente conseguirá acertar com Dória, atualmente no Olympique de Marselha. Os franceses preferem emprestá-lo para um outro clube europeu para que ele se adapte ao continente ao invés de recolocá-lo no Brasil.

O Tricolor quer um defensor e um atacante de velocidade para fechar o elenco. A diretoria espera um posicionamento do Dínamo de Kiev para fechar com Dudu; caso o negócio não saia, Wellington Nem será procurado pelo clube, mas o Tricolor pode ter a concorrência do futebol chinês pelo atleta.

SANTOS

Em grave crise financeira, o Alvinegro negociou parte dos direitos de Gabriel, Geuvânio e Daniel Guedes com a Doyen Sports, fundo que comprou Leandro Damião do Internacional e repassou ao clube por R$42 milhões, valor que precisará ser quitado pela diretoria.

Sem dinheiro em caixa, a preparação para a próxima temporada continua estagnada já que a diretoria não consegue fundos para contratar reforços. O clube está com salários atrasados de jogadores e funcionários e não consegue quitar as dívidas contraídas. Segundo o novo presidente, Modesto Roma Júnior, o clube só procurará reforços quando estiver em dia com suas obrigações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.