Aparecidense recorrerá contra eliminação na Série D

O presidente da Aparecidense, Wilson Queiroz Brasil, afirmou que o clube vai recorrer da decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que na segunda-feira à noite decidiu excluir a equipe das quartas de final da Série D e dar a vaga no playoff para o Tupi, de Juiz de Fora. A alegação é de que o clube goiano foi incluído em um artigo que não condiz com o que houve no jogo.

MARCIO DOLZAN, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 12h17

A Aparecidense foi enquadrada no artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que cita: "Impedir o prosseguimento de partida, prova ou equivalente que estiver disputando, por insuficiência numérica intencional de seus atletas ou por qualquer outra forma. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009). PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100.000, e perda dos pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento".

O clube goiano contesta. "Fomos enquadrados num artigo que fala em interrupção da partida, mas a partida não foi interrompida, ela ficou um tempo paralisada e depois prosseguiu até o apito final", avaliou Brasil, em entrevista por telefone ao Estado.

O presidente informou que se encontrará com o advogado que defendeu o clube, João Vicente de Moraes, nesta terça-feira, em Goiânia, para estabelecer em conjunto os próximos passos de defesa. O clube tem até quinta-feira para recorrer.

Além da eliminação da competição, a Aparecidense foi punida com multa de R$ 100, definida como "irrelevante" pelo presidente do clube. Já o massagista Romildo Fonseca da Silva, o Esquerdinha, pivô da confusão, pegou 24 jogos de suspensão e foi multado em R$ 500. "A punição ao Esquerdinha já era prevista", disse Brasil, dando a entender que o clube não irá questionar a pena imposta ao massagista.

No jogo de volta do duelo entre Tupi e Aparecidense, pelas oitavas de final da Série D, o jogo estava empatado por 2 a 2 e, se os mineiros fizessem mais um gol, ganhariam o jogo e levariam a vaga à próxima fase. No entanto, aos 44 minutos do segundo tempo, o atacante Ademilson bateu para o gol após receber um cruzamento, mas em cima da linha o massagista Esquerdinha tirou a bola. Em seguida, no rebote, ele impediu novamente o gol mineiro, evitando que, no campo, o time mineiro assegurasse classificação às quartas de final.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie DAparecidensepunição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.