Apático, Palmeiras perde para o Icasa em Juazeiro por 1 a 0 e adia acesso

Técnico Gilson Kleina esperava assegurar o acesso com uma vitória sobre o atual quinto colocado

Felipe Rosa Mendes, Agência Estado

16 de outubro de 2013 | 00h06

SÃO PAULO - O Palmeiras deve adiar a festa pelo retorno à Série A após a inesperada derrota para o Icasa, por 1 a 0, na noite desta terça-feira, no Estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte (CE). Desfalcado e com um desempenho abaixo da média, o time do técnico Gilson Kleina decepcionou a torcida em campo e sofreu a quinta derrota nesta edição da Série B do Campeonato Brasileiro.

Kleina esperava assegurar o acesso, ainda que não de forma matemática, nesta noite. Pelas contas do treinador, o Palmeiras estaria garantido na elite com 68 pontos. No entanto, o time estacionou nos 65 com o revés diante da equipe cearense. Agora, tem 18, e não mais 19, de vantagem sobre o quinto colocado, o próprio Icasa - Avaí, com um jogo a menos, e América-MG, também somam 47 pontos.

O Palmeiras buscará os três pontos que faltam, pelo cálculo de Kleina, no duelo com o Bragantino, sábado, no interior de São Paulo. No mesmo dia, o Icasa tentará sustentar sua ascensão na tabela diante do combalido São Caetano, no Anacleto Campanella.

O JOGO

Palmeiras e Icasa fizeram um primeiro tempo pouco digno de um time que está perto do título e outro que briga por uma vaga no G4. Com forte marcação, os cearenses neutralizaram o ataque palmeirense e impediram a armação das principais jogadas do time, desfalcado de Valdivia e dependente de Wesley.

Sem maior inspiração, o meia pouco produziu. Afora três cobranças de escanteio consecutivas, parou facilmente na marcação rival. Wesley só conseguiu azeitar o ataque nos minutos finais, quando o Palmeiras já estava atrás no placar.

A desvantagem foi resultado de uma vacilada feia da improvisada defesa do Palmeiras. O volante Marcelo Oliveira, que tentou dar cobertura na zaga, saiu mal e chutou em cima de Marcos Vinícius, aos 22 minutos. Juninho Potiguar aproveitou a chance, entrou na área e driblou Fernando Prass antes de estufar as redes.

A partir daí, a partida ganhou ritmo e os dois times passaram a criar boas chances no ataque. Aos 34, Ananias bateu forte e mandou perto do gol. Aos 43, Léo Gago encheu o pé de fora da área e exigiu grande defesa do goleiro João Ricardo. Antes, aos 41, Marcelo Oliveira mandou para as redes, mas teve o lance anulado por impedimento.

Ciente das limitações do Palmeiras na armação, o técnico Gilson Kleina colocou o meia Felipe Menezes em campo no segundo tempo. Mas a produção do setor continuou em baixa. O Palmeiras seguia parando na marcação do Icasa e não conseguia surpreender os anfitriões. Para piorar, o time paulista levava sustos nos contra-ataques. Aos 23, Neilson arrancou pela direita e bateu forte de longe. A bola passou rente ao travessão.

Em outro contra-ataque, o mesmo Neílson disparou pelo meio e só foi parado com falta de Juninho. O lateral-esquerdo foi expulso direto e deixou os visitantes com apenas 10 jogadores em campo, aos 45 minutos. Em desvantagem numérica e no placar, coube ao Palmeiras somente esperar pelo apito final para refazer as contas de olho no retorno à Série A.

FICHA TÉCNICA:

ICASA 1 x 0 PALMEIRAS

ICASA - João Ricardo; Luiz Otávio (Gabriel), Naylhor e Preto Costa; Neilson, Gilmak, Roberto, Chapinha (Elanardo) e Guto; Juninho Potiguar (Luis Gustavo) e Tadeu. Técnico: Ademir Fonseca.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Luis Felipe, André Luiz, Marcos Vinícius (Felipe Menezes), Juninho; Léo Gago, Marcelo Oliveira, Wesley; Ananias (Vinícius), Leandro (Caio), Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

GOL - Juninho Potiguar, aos 28 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Guto, Luis Felipe, Chapinha, Gilmak, Luiz Otávio.

CARTÃO VERMELHO - Juninho.

ÁRBITRO - Pablo dos Santos Alves (ES).

RENDA - R$ 338.425,00.

PÚBLICO - 9.590 pagantes (10.490 no total).

LOCAL - Estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte (CE).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeirasIcasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.