Ivan Storti/Santos
Ivan Storti/Santos

Apesar da derrota, Cuca elogia atuação do Santos: 'Jogamos um pouco melhor'

Técnico estreia no comando do alvinegro com revés para o Cruzeiro

Estadão Conteúdo

01 Agosto 2018 | 22h34

O técnico Cuca lamentou mais uma derrota sofrida pelo Santos na temporada, desta vez na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Com gol de Raniel na reta final do segundo tempo, aos 35 minutos, o Cruzeiro saiu de campo vitorioso por 1 a 0, apesar de o treinador entender que o time paulista merecia melhor sorte.

+ TEMPO REAL - Santos 0 x 1 Cruzeiro

+ Botafogo demite o técnico Marcos Paquetá

"Tem de lamentar a derrota, mas não lamentar o jogo do Santos. A gente jogou melhor do que o Cruzeiro, um pouco melhor. O torcedor sai frustrado pelo resultado, mas não pelo jogo que ele viu", disse o técnico.

Cuca também falou sobre um problema antigo do Santos em 2018, que é a falta de um armador. Assim, justificou a improvisação de Victor Ferraz na função durante parte do segundo tempo.

"Com o Alison em campo, você dá liberdade para o Renato e o Diego Pituca atuarem como meias, eles tem qualidade para isso. O Renato tem essa condição, o Victor Ferraz também. Tivemos três boas chances pela direita, com o Daniel Guedes na lateral, antes de o Mano conseguir fechar o setor. Faltou chutar mais a gol. O Ferraz tem essa qualidade técnica para atuar no meio. Se você não tem opções, tem de criar alternativas, como a mudança de esquema", disse o treinador, que revelou que o meia Bryan Ruiz ainda não está perto de estrear porque apresenta desequilíbrio muscular.

Cuca aproveitou para defender Gabriel, que perdeu uma chance clara pouco antes do gol da vitória do Cruzeiro. "Não é característica dele ficar centralizado. A gente não pode cobrar que ele jogue como camisa 9. Não foi pedido para que ele saia da área, mas é característica dele. É um jogador experiente, apesar dos 21 anos", afirmou o técnico.

Questionado sobre as vaias ao zagueiro David Braz, que era o marcador de Raniel no lance do gol, Cuca pediu apoio da torcida para recuperar a confiança do elenco. "Não é que as críticas chegam ao vestiário, elas chegam dentro do campo mesmo. Mas eles são profissionais, eles sabem que é assim. A cobrança chega aos mais experientes. São bons jogadores e tem outros bons jogadores aqui. Não adianta pedir 300 reforços, tem gente aqui. É tentar trabalhar e recuperá-los", disse.

O treinador assegurou ser possível reverter a vantagem conquistada pelo Cruzeiro no duelo de volta. "É relativo, a gente não sabe o que iria acontecer no jogo de volta se a gente ganhasse aqui. Pode ser bom, um resultado assim te incentiva a mudar o jogo. Não vou dizer que é bom perder, mas, às vezes, é bom. A gente vai ter de se expor mais lá no Mineirão", comentou o treinador, que vai enfrentar uma série de quatro partidas seguidas fora de casa, uma delas contra o Cruzeiro, no dia 15, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil.

Cuca também assegurou acreditar que a má fase é provisória, pois enxerga o time atuando bem. "Nenhum dos últimos três jogos na Vila foram ruins, contra Flamengo, América-MG e Cruzeiro. Santos foi melhor ou um pouco melhor em todos. Nessa noite, tivemos até três ou quatro oportunidades claras, mas não existe isso de falta de sorte, faltou eficácia", afirmou o técnico.

Em 17º lugar no Brasileirão, o Santos vai enfrentar o Botafogo, às 16 horas deste sábado, no Engenhão. O time comandado por Cuca está na zona de rebaixamento do torneio nacional, apesar de jogo a menos que tem a disputar, por causa de confronto contra o Vasco adiado da terceira rodada.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.