Apesar da fraca campanha, Guarani não muda planos no Paulista

Diretoria confia no trabalho do técnico Roberval Davino e espera uma vitória diante do Rio Claro nesta quinta

04 de fevereiro de 2008 | 14h44

A decisão é da diretoria do Guarani: os objetivos do time dentro do Campeonato Paulista não serão alterados em virtude do início irregular dentro da competição. Os dirigentes acreditam que não são necessárias profundas mudanças para que o time mantenha a esperança de evitar o rebaixamento para a Série A-2 Paulista e para conquistar dentro de campo uma vaga no Campeonato Brasileiro da Série C. Mas a situação do time é delicada, porque em seis jogos, perdeu quatro vezes e venceu apenas duas. Soma seis pontos e ocupa a 17.ª posição, estando, portanto, na zona do rebaixamento. Sete clubes brigam por quatro vagas na Série C, mas o time campineiro está em sexto lugar neste ranking paralelo. Só supera o lanterna Rio Preto, com um ponto, mas fica atrás de Guaratinguetá (15), Noroeste e Juventus (10), Mirassol (8), Rio Claro e Sertãozinho (7). Não bastasse a difícil situação do time na tabela, o clube vive momentos de expectativa pela possível venda do Estádio Brinco de Ouro. Uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo foi convocada para a próxima quinta-feira para tratar do polêmico assunto. Há muitas dúvidas sobre os valores envolvidos na transação, mesmo porque não aconteceu ainda uma divulgação por parte da direção do clube. Depois de perder para o Guaratinguetá, por 3 a 1, domingo, no Vale do Paraíba, o Guarani vai receber o Rio Claro, quarta-feira, no Brinco de Ouro, a partir das 17h30. O técnico Roberval Davino não poderá escalar o volante Roger Bernardo, expulso, e o meia Marcinho, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Além disso, perdeu o ala-direito Robinho, machucado, e não terá ainda a liberação do ala Lucas.

Tudo o que sabemos sobre:
Paulistão A-1Guarani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.