Apesar da vaga, Maradona continua sob pressão

A Argentina conseguiu a vaga para a Copa de 2010, ao ganhar do Uruguai na noite de quarta-feira, mas a classificação não amenizou as críticas que Maradona tem recebido. Em pesquisas na internet, os torcedores seguem defendendo a troca de comando na seleção. E a imprensa ataca o treinador, principalmente após a raivosa entrevista coletiva que ele deu ainda em Montevidéu.

AE, Agencia Estado

15 de outubro de 2009 | 10h03

Ainda dentro de campo, durante a comemoração pela classificação, Maradona se virou para os jornalistas que o cercavam e gritou: "Chupem, agora!". Depois, na entrevista coletiva, ele voltou a atacar a imprensa argentina. "Eu tenho memória e vou lembrar mais do que nunca dessa relação com vocês. Eu não vou esquecer como fui tratado", afirmou o treinador da seleção.

As "grosserias" de Maradona foram chamadas de "vergonhosas" pela imprensa argentina nesta quinta-feira. "Escolheu um espírito revanchista e um estilo reprovável ao invés de fazer uma autocrítica", escreveu o jornal La Nación, ao falar sobre o treinador. "Foi na contramão de tudo o que um cargo tão importante exige", criticou o diário Clarín.

Enquanto isso, o torcedor argentino também parece cansado de Maradona. Em pesquisa realizada no site do jornal La Nación, 85% dos participantes defendem a saída do treinador mesmo com a classificação para a Copa. Existe, inclusive, um rumor de que o presidente da Associação Argentina de Futebol, Julio Grondona, já estaria pensando numa mudança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.