Apesar das críticas, Conmebol não vetará jogos na altitude

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) informou nesta terça-feira que não impedirá a realização de partidas na altitude, mesmo com a reclamação apresentada pelo presidente do Flamengo, Márcio Braga, que ficou indignado com o ocorrido na última quarta, quando o time carioca enfrentou o Real Potosí, pela Libertadores.O jogo foi disputado na cidade de Potosí, que fica cerca de quatro mil metros acima do nível do mar. Ao longo do duelo, alguns jogadores do Flamengo passaram mal e precisaram receber oxigênio na beira do campo. Outros, como o goleiro Bruno, acabaram desabando no gramado por sentirem falta de ar."A Fifa permite que se dispute partidas pelas Eliminatórias na altitude. Assim, nós não podemos fazer nada", contou o secretário executivo da Conmebol, Francisco Figueredo. "Com isso, também está confirmado que a Bolívia mandará os seus jogos pelas Eliminatórias na cidade de La Paz [cuja altitude é de 3.600 metros]."Ao apresentar sua queixa, Mário Braga havia ameaçado não disputar mais nenhuma partida na altitude, independente das punições que o Flamengo poderia receber por essa atitude. Este ato despertou a irá dos dirigentes do Real Potosí, que em resposta criticaram o "calor brasileiro, os mosquitos e a alta umidade do Rio de Janeiro".Até o técnico da seleção boliviana, Erwin Sánchez, chegou a se intrometer, dizendo que gostaria de enfrentar o Brasil em Potosí pelas Eliminatórias. O desejo do técnico foi rapidamente rechaçado pelo federação local, que só pode indicar uma sede para as partidas - que é La Paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.