Divulgação
Divulgação

Apesar das dores, Fred se apresenta com a seleção e garante que joga

Atacante sentiu a panturrilha no jogo do Flu no domingo, mas se diz pronto para o Superclássico

Mateus Silva Alves, O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2012 | 17h48

SÃO PAULO - O atacante Fred terminou o jogo em que o Fluminense foi derrotado pelo Cruzeiro, no domingo, sentindo fortes dores na panturrilha esquerda. Em se tratando de um jogador que tem um longo histórico de lesões musculares, havia motivo para o técnico Mano Menezes se preocupar com a possibilidade de perder o goleador para o Superclássico das Américas, nesta quarta-feira, contra a Argentina, em Buenos Aires. A preocupação, no entanto, desapareceu nesta segunda-feira, quando a seleção brasileira se apresentou em São Paulo e o capitão do time campeão brasileiro garantiu que está em perfeitas condições para enfrentar os argentinos.

"O que eu senti foi um cansaço na panturrilha, uma sensação parecida com cãibras", explicou o jogador. "Nós passamos uma semana de muitas comemorações, então é normal acontecer esse tipo de coisa."

Na entrevista coletiva que concedeu na tarde desta segunda-feira no CT do Corinthians, onde a seleção treina para o jogo contra a Argentina, Fred falou sobre os desentendimentos que teve recentemente com Mano. Chateado por ter sido "esquecido" pelo treinador, o atacante chegou a dizer que não esperava mais ser convocado, mas ele agora jura que isso já é parte do passado.

"Nós somos profissionais, temos os mesmos objetivos. Fica fácil porque aqui não tem nenhum mau-caráter", falou Fred, que disse não se arrepender de ter dito que não seria mais chamado, mas logo deixou claro que se arrependeu, sim. "Não me arrependo de nada, naquele momento expus o que sentia. Mas a gente vai vendo que às vezes é desnecessário dar certo tipo de declaração. É um aprendizado."

Tudo o que sabemos sobre:
seleção brasileiraFredCopa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.