Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Apesar de assinar, Andrés nega ser autor de 'Dia do Corinthians'

'Não fui eu que fiz esse projeto, foi o deputado Goulart. Eu só apoiei, mais nada', diz Andrés através de seu site oficial e do twitter

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 20h09

O deputado federal Andrés Sanchez (PT-SP), ex-presidente e atual superintendente de futebol do Corinthians, negou nesta terça-feira que seja o autor do projeto de lei para transformar o dia 1º de setembro no "Dia do Corinthians" em todo o território nacional. Apesar de negar autoria, seu nome consta no site da Câmara como um dos dois deputados que assinam o projeto de lei.

Em seu site oficial, que foi utilizado para sua campanha no período eleitoral, a assessoria de imprensa do ex-presidente do Corinthians publicou uma nota assinada por Andrés, onde ele diz que "quero esclarecer que eu não criei esse projeto, sempre falei que meu papel aqui na Câmara dos Deputados seria muito além do futebol. Continuo com meu foco, que são projetos que visam melhoria para a população em geral. O projeto foi criado pelo Deputado Federal Goulart (PSD/SP), pessoa que tenho um apreço e que assim como eu é corintiano, portanto, dei meu apoio"

O problema é que ao acessar o site da Câmara Federal, facilmente é possível identificar que Andrés assina o projeto de lei ao lado de Goulart. Em uma busca pelo nome do deputado, encontra-se sua página com o seu perfil dentro do portal. Lá, em uma das abas é possível ver os projetos de leis. Aparece apenas o do 'Dia do Corinthians' e ao clicar em 'inteiro teor', surge a nota assinada pelos dois deputados federais. Clique aqui e veja o documento da Câmara.

O Estadão entrou em contato com a assessoria de imprensa de Andrés na noite desta terça-feira. De acordo com sua assessora, Andrés explicou que, apesar de seu nome constar como autor do projeto, realmente ele apenas "apoiou" Goulart na iniciativa. E que, por "problemas burocráticos", seu nome foi parar na lista da Câmara como autor do projeto de lei.

Além de seu site oficial, Andrés ainda utilizou o twitter para tentar se explicar. "Não fui eu que fiz esse projeto do dia do Corinthians, foi o deputado Goulart. Simplesmente só apóie (sic), mais nada (sic). Qualquer projeto que você for apoiar, tem que assinar, mas também não é crime esse progeto (sic). Bom, cada um fala e escreve como quer, mas somos um povo, infelizmente, com muita ipocresia (sic)", escreveu, no seu Twitter, o deputado federal. Na conta, aparece que o perfil é "administrado pela assessoria de imprensa".

Eleito no ano passado com 169.834 pelo Partido dos Trabalhadores de São Paulo, Andrés assinou o documento que diz, em um de seus trechos: "A história do Corinthians se funde com a própria história do esporte brasileiro e de sua sociedade, já que o Clube foi fundado por um grupo de operários e foi o primeiro clube de futebol paulista a aceitar jogadores pobres, além de ser o segundo no Brasil a aceitar atletas negros. Portanto a história do Corinthians, e sua contribuição para a sociedade brasileira, é muito maior do que simplesmente o jogo de futebol".

Andrés e Goulart (deputado do PSD de São Paulo, também historicamente ligado ao Corinthians) lembram que a cidade de São Paulo já instituiu o Dia do Torcedor Corintiano em 23 de abril, de acordo com a lei municipal 14399 de 18 de maio de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAndrés SanchesCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.