Christophe Simon/AFP
Christophe Simon/AFP

Apesar de boicote diplomático, Macron vê jogo da França em São Petersburgo

Presidente francês vai à Arena Zenit mesmo com tensão entre o governo russo e alguns países ocidentais

Estadão Conteúdo

10 Julho 2018 | 16h06

O presidente francês, Emmanuel Macron, está presente na Arena Zenit, em São Petersburgo, para assistir ao jogo da seleção do seu país contra a Bélgica, nesta terça-feira, pela primeira semifinal da Copa do Mundo da Rússia. Macron decidiu comparecer ao local apesar do boicote diplomático aplicado por alguns países ocidentais ao governo de Vladimir Putin.

+ TEMPO REAL - França x Bélgica

+ Meninos resgatados de caverna na Tailândia não poderão ir à final da Copa do Mundo

Ele está acompanhado da ministra do Esporte, Laura Flessel-Golovic. Antes de embarcar para a Rússia, Macron enfatizou que a viagem não terá motivos diplomáticos. Ele deve retornar no mesmo dia para a França, após o final da partida disputada em São Petersburgo, e não tem outros eventos marcados na agenda oficial.

A presença do presidente põe em xeque um boicote diplomático à Rússia organizado pela Inglaterra em março. A primeira-ministra Theresa May anunciou que nenhum ministro ou membro da família real britânica compareceria à Rússia para assistir à Copa do Mundo, o que até agora se consolidou.

O motivo é o envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal, que cedeu informações ao governo britânico, e também de sua filha. A Inglaterra responsabiliza o governo russo pelo ataque, enquanto Moscou nega qualquer envolvimento. A mesma substância também envenenou um casal no dia 30 de junho, na mesma região, o que técnicos suspeitam ser causado pela permanência do veneno no ambiente.

 

Nas tribunas do estádio, o presidente francês terá a companhia de dirigentes do primeiro escalão russo e também do rei da Bélgica, Philippe, e da rainha Matilde. Este é o segundo jogo belga em que o casal real comparece na Rússia. Na partida anterior, contra a Tunísia, o rei esteve acompanhado do primeiro-ministro, Charles Michel.

Também estão presentes no local o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin. Além deles, assistem ao jogo in loco o cantor Mike Jagger, da banda Rolling Stones, e o ex-jogador francês Jean Pierre Papin.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.