Marcus Brendt/EFE
Marcus Brendt/EFE

Apesar de polêmica em coletiva, Mueller elogia Maradona

Alemão afirma que não guarda mágoas do técnico ainda que argentino tenha requisitado sua saída da entrevista

AE-AP, Agência Estado

30 de junho de 2010 | 12h03

Às vésperas do confronto entre Argentina e Alemanha pelas quartas de final da Copa do Mundo, que acontecerá neste sábado, a imprensa dos dois países lembra do episódio ocorrido depois do último amistoso entre as duas equipes, quando Maradona se recusou a participar de uma entrevista coletiva ao lado do meia alemão Thomas Mueller.

Veja também:

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

"Eu não sei porque ele pediu para que eu saísse", disse o jogador nesta quarta-feira, lembrando do momento em que o treinador argentino requisitou aos organizadores do amistoso que o jogador deixasse a entrevista.

Apesar do episódio, Mueller parece não guardar mágoas de Maradona e o elogia. "Eu não o vi jogar muito, porque sou jovem. Mas o assisti na partida de despedida de Lothar Matthaus, em Munique, na qual ele estava obviamente alguns quilos acima do peso, mas ainda assim conseguia fazer coisas extraordinárias com a bola", analisou.

Um dos principais destaques da Alemanha no Mundial até o momento, Mueller reconheceu a dificuldade do confronto deste final de semana e comentou o trabalho do ídolo argentino à frente da seleção. "É difícil para mim analisá-lo como técnico, mas a Argentina está jogando bem e obtendo bons resultados. Eles não possuem ponto fraco", declarou.

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.