Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Apesar do bom início, Tite descarta pensar em renovar antes da Copa

Técnico da seleção brasileira se vê no ápice de sua carreira

Estadao Conteudo

26 Fevereiro 2017 | 18h10

Desde que assumiu a seleção brasileira, no meio do ano passado, o técnico Tite deixou o time com 100% de aproveitamento e encaminhou a vaga para a Copa do Mundo da Rússia. Apesar do bom retrospecto, o treinador não vê como real a possibilidade de renovar o contrato com a CBF antes da disputa do Mundial em 2018.

"A renovação estará sempre presa aos resultados. Não gostaria que acontecesse [oferta de renovação antecipada], prefiro esperar o fim do Mundial, porque que aí sim, poderei analisar tudo da melhor maneira possível", comentou Tite, em entrevista ao jornal esportivo português O Jogo.

Tite entrou no lugar do demitido Dunga e já acumula sete vitórias em sete jogos, sendo seis em confrontos das Eliminatórias e uma em um amistoso. Neste período, a equipe nacional marcou 18 gols e sofreu apenas um.

Questionado sobre a possibilidade de treinar um clube da Europa após a Copa do Mundo, Tite deixou claro que ainda não quer pensar neste assunto. O técnico acredita que esteja no ápice de sua carreira.

"Não pensei nisto ainda, admito. Quando fui campeão mundial com o Corinthians, em 2012, senti que fiquei habilitado para ser lembrado dentro da seleção brasileira. Consegui, hoje estou na seleção. Agora, o foco é apurar o time e, em seguida, a disputa do Mundial. Se o Brasil for campeão, quero dar um tempo e analisar o rumo da minha carreira, porque é difícil planejar o futebol a longo prazo. Mas uma coisa é certa: atingi o máximo em termos de posição profissional", acrescentou.

Tite concedeu uma entrevista ao jornal português em meio a uma viagem pela Europa para acompanhar partidas de jogadores brasileiros pelo continente. Após passar por Sevilla, e conversar com Paulo Henrique Ganso, o treinador adiantou que vai acompanhar a partida de volta entre Barcelona e PSG pelas quartas de final da Liga dos Campeões - o time de Paris goleou os espanhóis por 4 a 0 na ida.

"Faço questão de assistir no estádio ao jogo de volta entre Barcelona e PSG. Porque não quero ter uma visão parcial da goleada do PSG, que jogou em casa, numa atmosfera altamente favorável. Às vezes você pega um dia menos inspirado, ruim... É humano, é futebol. Quero ter a referência do outro jogo, no Camp Nou, com outra atmosfera forte e uma indignação dos jogadores do Barcelona", comentou.

Sobre Ganso, Tite pediu paciência para que o meia ex-São Paulo e Santos possa mostrar melhor desempenho no Sevilla. O atleta vive má fase na equipe do técnico argentino Jorge Sampaoli e tem sido pouco aproveitado nas partidas.

"Disse, logo no começo do papo (com Ganso): 'Você é o jogador que me obrigava a dar uma orientação especial para o Ralf nos jogos contra o Santos e, posteriormente, o São Paulo.' É um meia que não pode ter espaço para jogar, é muito criativo. A capacidade de assistência dele é impressionante. Ele está com uma filha de menos de 30 dias agora, está num processo de adaptação, que também é um processo familiar", disse.

Na última quinta-feira, a CBF anunciou que Tite irá convocar a seleção brasileira para os dois próximos jogos das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018 no dia 3 de março. O comandante irá revelar os nomes escolhidos para defender o time nacional contra o Uruguai no dia 23 de março, em Montevidéu, e no dia 28, contra o Paraguai, no Itaquerão, em São Paulo, pelas respectivas 13ª e 14ª rodadas do qualificatório para o Mundial da Rússia.

Mais conteúdo sobre:
seleção brasileira futebol Tite Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.