Rafael Ribeiro/CBF
Rafael Ribeiro/CBF

Apesar do fracasso do Brasil na Copa, Neymar se firma na seleção

Atacante tem temporada de confirmação com a camisa nacional, é o melhor jogador do time aos 22 anos e ainda capitão de Dunga

O Estado de S. Paulo

26 de dezembro de 2014 | 12h08

A temporada de Neymar alternou bons e maus momentos, sobretudo na Copa do Mundo, quando se esperava muito do atacante do Barcelona, a exemplo do seu desempenho na Copa das Confederações um ano antes. O Mundial poderia ter sido mais generoso com o principal jogador da seleção. Não foi. Bem marcado e com dificuldades para impor sua habilidade por causa da marcação e das botinadas, Neymar não teve vida fácil, mas sempre foi o jogador mais perigoso do time de Felipão.

Foi até aquela partida contra a Colômbia nas quartas de final, quando Zuñiga abusou da força numa entrada por trás no brasileiro e o tirou da competição. Neymar foi levado do campo para uma clínica em Fortaleza, onde exames constataram fratura das vértebras. O jogador recusou-se a deixar o elenco. Passou um tempo longe do grupo, mas logo voltou. Aquela cena de Neymar deixando a Granja Comary, deitado numa maca, arrasado e triste, ainda está na mente dos torcedores. Muitos dizem que o Brasil perdeu a Copa por causa de sua ausência.

Mesmo assim, Neymar marcou na temporada sua importância para a seleção. Após a Copa, o craque foi eleito por Dunga, o novo treinador, capitão do time no lugar de Thiago Silva. Neymar provou ser um garoto pronto, nas palavras de Dunga, um jogador que suporta pressão dentro e fora de campo. Os gols vieram, assim como as jogadas bonitas e a confiança. Neymar foi o terceiro maior artilheiro da Copa, o Chuteira de Bronze do Mundial.

Com a camisa do Brasil após o torneio vencido pela Alemanha, nos últimos quatro amistosos, já sob o comando de Dunga, Neymar marcou sete gols, uma marca que dimensiona sua importância para as competições futuras. Em 2015, o Brasil terá a Copa América e as Eliminatórias para o Mundial de 2018. Só contra o Japão, o atacante balançou as redes quatro vezes. Nas 14 partidas pela seleção na temporada, Neymar marcou 15 gols, chegando aos 42 em 60 jogos desde sua estreia.

No Barcelona, Neymar reforçou sua parceria com Lionel Messi. Eles são amigos fora de campo, com fotos e elogios nas redes sociais, e estão cada vez mais entrosados sob o comando de Luis Enrique.

Nas redes sociais, Neymar também é grande. De acordo com informações oficiais de sua assessoria, sua página no Facebook é a 51ª mais vista do mundo, com 50,5 milhões de 'likes'. E seu perfil oficial no Twitter, com 15,9 milhões de seguidores, é o 44º.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.