Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Apesar do sufoco nas quartas, Felipão elogia atuação do Grêmio

Tricolor precisa dos pênaltis para passar pelo Novo Hamburgo

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2015 | 09h53

O Grêmio precisou suar muito e ir às penalidades para passar pelo Novo Hamburgo e se garantir nas semifinais do Campeonato Gaúcho. Na última quinta-feira, a equipe tricolor saiu atrás do placar, foi atrás do empate e ainda perdeu um pênalti, mas garantiu-se na próxima fase. O sufoco não impediu que Luiz Felipe Scolari elogiasse a atuação de seus comandados.

"Eu falei que ganhando ou perdendo estava satisfeito com o que vi, e agradeci os jogadores pelo empenho. Fomos superiores e criamos algumas oportunidades. Nós só continuamos errando uma coisa: não aproveitarmos as chances criadas. Isso pode nos causar dificuldade ali adiante", declarou o treinador após a partida.

Felipão viu domínio gremista desde o início, mas admitiu que a equipe melhorou na etapa final. Ele só lamentou a batida de Fred na falta que resultou o gol do Novo Hamburgo. "Eu entendo que foram dois tempos distintos. Nós tínhamos (no primeiro tempo) o domínio do jogo, as melhores chances de gol, mas a qualidade do Fred na batida da bola foi fantástica. O Marcelo (Grohe) nem viu a bola. Eles aproveitaram a jogada normal de um time fechado, que faz o gol e fica com o contra-ataque."

Na avaliação do treinador, o principal responsável pela mudança de postura do Grêmio na etapa final foi Yuri Mamute. O jovem entrou na vaga de Braian Rodríguez e mais uma vez se transformou em um dos destaques da equipe. Tanto, que o próprio Felipão fez questão de pedir um aumento salarial para seu comandado.

"Ele é um dos 18, 19 titulares que temos, merece um respeito maior do clube. É valorizar nosso jogador em respeito a valores financeiros. Tem uma dedicação fantástica e tem dado tudo que precisa dentro de campo. Vamos discutir isso amanhã (sexta). Vocês acham que eu só cobro, mas vou atrás de ajuda quando acho que alguém merece", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.