Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Apesar dos desfalques, Santos tenta reagir no Brasileirão contra o Flamengo

Com apenas uma vitória em seis rodadas, time vai em busca dos três pontos no Morumbi

Sanches Filho , O Estado de S. Paulo

25 de maio de 2014 | 07h01

SANTOS - A campanha não é boa e o clima está pesado na Vila Belmiro depois da derrota contra o Atlético-MG em Cuiabá e de mais um empate - o quarto em seis rodadas - do time no Campeonato Brasileiro, mas nem por isso Oswaldo de Oliveira deixa de acreditar na reação do Santos diante do Flamengo no Morumbi. Um dos motivos deve ser porque a crise do adversário, que está perto da zona de rebaixamento, é maior.

O treinador afirma que está satisfeito com a evolução técnica que a equipe vem tendo na nova armação, com dois volantes que saem para o jogo - Alan Santos ou Renato e Arouca - e dois meias que trabalham na armação e se apresentam na frente - Cícero e Lucas Lima.

Sem esperança de receber os reforços necessários antes da parada para a Copa do Mundo, Oswaldo prefere elogiar os jogadores que entram na equipe a lamentar as seguidas perdas de titulares por contusão.

Em uma semana o treinador ficou sem todo o seu ataque. Leandro Damião foi para o departamento médico para curar a pubalgia que o incomodava desde os tempos do Internacional e se agravou ultimamente. Thiago Ribeiro sofreu estiramento do ligamento do joelho esquerdo na derrota contra o Atlético-MG e Gabriel sentiu uma lesão no músculo posterior da coxa direita em Goiânia. Sobrou Geuvânio, que ainda não está totalmente refeito do apagão das finais do Campeonato Paulista.

Oswaldo só tem uma queixa do time: a fraca atuação no empate por 0 a 0 com o Coritiba. Para ele, nas demais partidas, o Santos foi muito bem. "Só que vencer é muito relativo. Ganhamos do Figueirense, que ganhou do Corinthians, e dominamos o jogo todo contra o Goiás. Isso aconteceu também diante do Grêmio, que ganhou do Fluminense e do Botafogo. Vencer) é questão da oportunidade, de a bola entrar, ou do peso de quem a faz entrar. Não temos Fred ou Barcos. Nós não temos jogadores desse quilate, no momento, para botar a bola para dentro, e às vezes isso faz a diferença.".

O Flamengo trocou de técnico, mas nem a chegada de Ney Franco pôs fim à crise que toma conta da Gávea, cujos muros têm sido pichados após cada resultado negativo do time. Sexta-feira o goleiro Felipe não apareceu para treinar nem deu notícia. Só no começo da tarde surgiu a explicação, por intermédio da assessoria de imprensa do jogador. Ele falou que pensava que o treinamento seria no período da tarde.

SANTOS x FLAMENGO

SANTOS - Aranha; Cicinho, David Braz, Jubal e Zé Carlos; Arouca, Renato e Cícero; Lucas Lima, Geuvânio e Stefano Yuri. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

FLAMENGO - Felipe; Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Elano e Everton; Paulinho e Negueba. Técnico: Ney Franco.

Árbitro - Jailson Macedo Freitas (BA)

Horário - 16h

Na TV - Pay-per-view

Local - Morumbi, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.