Jean Christophe Bott / AP
Jean Christophe Bott / AP

Apoiado por peruanos em chegada à CAS, Guerrero tenta escapar de pena por doping

Caso julgamento seja negativo para o atacante, Peru pode ficar sem o seu principal jogador na Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

03 Maio 2018 | 09h54

O atacante Paolo Guerrero chegou na manhã desta quinta-feira à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), em Lausanne, na Suíça, onde foi recebido por cerca de 20 torcedores peruanos que foram até a porta do máximo tribunal esportivo para apoiar o jogador no dia do julgamento final de seu caso de doping.

+ Barbieri elogia o Fla e espera julgamento para confirmar Guerrero contra o Inter

+ Flamengo bate a Ponte em Campinas e larga na frente nas oitavas da Copa do Brasil

Após testar positivo em exame para o uso da substância benzoilecgonina, um metabólito da coca ou da cocaína, no dia 5 de outubro do ano passado, o atleta do Flamengo foi punido inicialmente com uma suspensão de um ano, mas conseguiu reduzir a pena para seis meses, em dezembro, após entrar com um recurso junto à Comissão de Apelação da Fifa.

Com essa redução da suspensão pela metade, Guerrero ficou liberado para poder defender a seleção peruana na Copa do Mundo, que começa no próximo dia 14 de junho, na Rússia. Porém, a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) apelou contra a decisão que atenuou a sanção e pede que o atacante cumpra uma pena de pelo menos um ano, já levando em conta os seis meses de suspensão, que expira justamente nesta quinta-feira.

Guerrero, por sua vez, apelou à CAS para anular a sua pena. O jogador disse, na ocasião da revelação do seu caso de doping, que consumiu um chá contaminado com folhas de coca em um hotel no Peru, quando ficou hospedado com a seleção de seu país, na véspera da viagem para a Argentina, para confronto pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo.

Caso tenha sucesso no julgamento desta quinta, Guerrero poderá defender o Peru no Mundial e também deverá fazer o seu retorno aos gramados neste domingo, quando o Flamengo enfrentará o Internacional, às 16 horas, no Maracanã, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Na última quarta-feira, por meio de publicação em sua página no Facebook, o atacante exibiu confiança em sua absolvição. "Os medos que não enfrentamos tornam-se os nossos limites. Ao longo da minha vida, a constância ensinou-me a ultrapassar obstáculos difíceis. Eu mantenho a cabeça erguida, com muita vontade de voltar onde sou feliz", escreveu o atleta na rede social, para em seguida destacar que se sente "cada vez mais perto" de poder voltar a atuar.

O Peru integra o Grupo D do Mundial da Rússia e vai estrear na competição no dia 16 de junho, contra a Dinamarca, em Saransk. A seleção peruana ainda terá pela frente a França e a Austrália na primeira fase do torneio, no qual o país voltará a jogar uma Copa depois de 36 anos de ausência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.