Após 10 anos, Ponte e Lusa se reencontram na elite

Depois de dez anos, Ponte Preta e Portuguesa voltam a se enfrentar pela divisão de elite do futebol brasileiro. Concorrentes na briga contra o rebaixamento no campeonato, os dois times duelam neste sábado, a partir das 21 horas, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela última rodada do primeiro turno.

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2012 | 08h33

O último confronto entre ambos pelo Brasileirão aconteceu em 2 de novembro de 2002, quando empataram sem gols em Campinas. Naquele mesmo ano, a Lusa amargou o rebaixamento à Série B e só voltaria a figurar na elite em 2008, quando a Ponte militava na segunda divisão.

Após uma semana refugiada em Porto Feliz (SP), a 75 quilômetros de Campinas, a Ponte espera encerrar a fase negativa no campeonato. Nas últimas nove rodadas, venceu apenas um jogo e vêm de três derrotas seguidas. Assim, está na 14ª posição, com apenas 20 pontos.

A Lusa vive um momento oposto, já que não perde há oito rodadas (são três vitórias e cinco empates). A reação fez com que se afastasse da zona de rebaixamento. Agora, ocupa a 13ª posição, com 22 pontos. Mas sabe que um tropeço neste sábado traz o pesadelo de volta.

Na Ponte, o técnico Gilson Kleina decidiu mudar o time para tentar reencontrar o caminho das vitórias. Neste sábado, ele apostará no esquema com três zagueiros - Ferrón ganha a vaga do volante Somália. "Tivemos uma queda na marcação nos últimos jogos. Com esta formação, aumentaremos o poder de marcação e daremos liberdade a outros jogadores", justificou.

A Ponte ainda terá duas outras modificações. Sem poder contar com o atacante Roger, artilheiro do time com sete gols, Gilson Kleina promoverá a estreia do recém-contratado Giancarlo entre os titulares. Já o meia Marcinho retorna no lugar do atacante Luan.

Na Portuguesa, o técnico Geninho fará o mínimo de mudanças no time. A única alteração se deve à suspensão do volante Boquita, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Sua vaga será ocupada pelo meia Héverton, o que deve deixar a Lusa um pouco mais ofensiva.

O treinador acredita que, mantendo a base, a Portuguesa tem boas possibilidades de voltar para São Paulo com um bom resultado na bagagem. "É bom manter a estrutura da equipe. Nós temos modificado bem pouco e, por isso, o time já se comporta de uma maneira diferente em campo", avaliou Geninho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.