Ceará/Site Oficial
Ceará/Site Oficial

Após 15 dias e três derrotas no Brasileirão, Jorginho deixa o comando do Ceará

"A decisão foi minha. Nesta segunda-feira, vou ao CT me despedir dos atletas e funcionários, que tão bem me acolheram desde a minha chegada"

Estadão Conteúdo

04 Junho 2018 | 09h38

Afundado na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Ceará agora precisará buscar um novo técnico para a sequência da sua participação no torneio. Nesta segunda-feira, o clube anunciou que Jorginho anunciou a decisão de deixar o comando do time, alegando "fatores pessoais".

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

O Ceará confirmou a contratação de Jorginho em 21 de maio, como substituto do demitido Marcelo Chamusca. Nesse período, o time sofreu três derrotas no Campeonato Brasileiro, para Grêmio (1 a 0), Chapecoense (2 a 0) e Cruzeiro (1 a 0), na lanterna do torneio, com apenas três pontos, e um empate sem gols com o CRB, o que o classificou às semifinais da Copa do Nordeste, mas ele não chegou a comandar o time neste duelo.

"Apesar do tempo muito curto de trabalho, posso dizer que tive a honra de trabalhar no Ceará Sporting Club. A decisão foi minha. Nesta segunda-feira, vou ao CT me despedir dos atletas e funcionários, que tão bem me acolheram desde a minha chegada", afirmou o treinador.

Sem revelar os detalhes da sua decisão, Jorginho agradeceu o apoio da torcida do Ceará e declarou torcida pela recuperação do time. "Desejo e espero que o clube possa reencontrar o caminho das vitórias. Pelo grupo de trabalho, pela dedicação da diretoria, e, claro, por essa torcida maravilhosa. Certamente é o maior patrimônio do Ceará, com uma média de público e participação nos jogos impressionantes. Agradeço também, de coração, ao povo cearense, sempre hospitaleiro e cordial", disse.

O Ceará ainda não definiu o nome do substituto de Jorginho. O time voltará a jogar na quarta-feira, quando vai visitar o Botafogo, no Engenhão, pela décima rodada do Brasileirão.

A nona rodada do torneio nacional já havia provocado a queda de dois outros treinadores, caso de Zé Ricardo, que deixou o Vasco após a derrota para o Botafogo no sábado, e de Guto Ferreira, que saiu do Bahia depois de o time ser batido pelo Grêmio no domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.