Após 19 dias de greve, obras no Maracanã são retomadas

As obras no estádio do Maracanã foram retomadas nesta segunda-feira, 19 dias após uma greve de operários, informou o sindicato da construção pesada do Rio de Janeiro.

REUTERS

19 de setembro de 2011 | 14h17

Os trabalhadores fizeram uma assembleia na porta do Maracanã na manhã desta segunda-feira e decidiram acatar a decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. Na sexta-feira, o TRT julgou a greve dos operários do Maracanã abusiva e determinou a volta a trabalho.

"A assembléia é soberana e os trabalhadores decidiram voltar ao trabalho, mas não desistiram de continuar as reivindicações", disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção Pesada do Rio, Nilson Duarte.

Os operários querem aumento no valor da cesta básica e melhores condições de trabalho, alimentação e segurança.

Ainda nesta segunda haverá uma rodada de negociações entre os trabalhadores e o consórcio responsável pela obra, formado pelas empresas Andrade Gutierrez, Delta e Odebrecht.

Esta foi a segunda greve em dois meses. Uma paralisação em agosto interrompeu o canteiro de obras por cinco dias.

As obras do Maracanã estão orçadas em cerca de 930 milhões de reais e, com as greves, a entrega do estádio à Fifa em dezembro do ano que vem está comprometida. O Maracanã será o principal palco da Copa das Confederações em meados de 2013 e da final da Copa do Mundo de 2014.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTMARACANAOBRAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.