Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Após 190 dias, Carlos Sánchez volta a treinar com o grupo do Santos

Uruguaio de 36 anos está recuperado de uma grave lesão no joelho esquerdo

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2021 | 05h00

Após 190 dias, o volante Carlos Sánchez finalmente voltará a treinar com os demais jogadores do Santos nesta sexta-feira. Recuperado de uma grave lesão no joelho esquerdo, o uruguaio de 36 anos fará seu primeiro treino com o grupo santista nesta manhã, no CT Rei Pelé, já pensando em seu futuro.

Referência do time desde que chegou à Vila Belmiro, em julho de 2018, o meio-campista não entra em campo desde 1.º de outubro do ano passado, quando sentiu dores no joelho na vitória sobre o Olímpia por 3 a 2, pela fase de grupos da Copa Libertadores - o Santos terminaria o campeonato com o vice.

Sánchez acabou rompendo o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e precisou ser submetido a uma cirurgia no dia 17 do mesmo mês. Perdeu, assim, a sequência da Libertadores, da Copa do Brasil e do Brasileirão. Foi, então, substituído por Jobson que, curiosamente, sofreu lesão semelhante, mas no joelho direito, e virou desfalque por tempo indeterminado.

Em razão da paralisação do futebol nacional em 2020, devido à pandemia, o volante uruguaio disputou apenas 28 partidas na temporada passada, com dois gols. No total, são 104 jogos com a camisa santista.

Passados seis meses, Sánchez voltará a dividir o gramado com os companheiros nesta sexta. Ainda não há previsão de retorno aos jogos, mas ele já sabe que vai precisar mostrar serviço para brigar por vaga entre os titulares com a nova geração santista, que vem ganhando cada vez mais oportunidades sob o comando do técnico Ariel Holan.

Seus principais concorrentes por uma vaga no meio-campo são Alison e Vinicius Balieiro, de 21 anos. Sandry vinha sendo o titular do posto, mas também se machucou. Novamente, uma lesão no joelho direito. E a expectativa é de baixa por até nove meses.

Em seu retorno, Sánchez também vai precisar definir seu futuro. Seu contrato atual termina em 22 de julho. Nesta semana, na reta final de recuperação física do uruguaio, a diretoria apresentou proposta para reduzir o salário do atleta pela metade, seguindo a orientação geral de corte de custos no clube.

O Santos vive grave crise financeira desde 2020. E o volante pode ter até um contrato por produtividade, em razão da idade mais avançada. O presidente Andres Rueda já admitiu que a prioridade do time é apostar na base, por oferecer salários mais baixos e também possível valorização dos jovens atletas, visando futuras transferências para o exterior.

O volante veterano não será a única novidade para Ariel Holan nesta reta final da semana. O atacante Kaio Jorge, o meia Rafael Longuine e o lateral Cadu também voltam à equipe, após lesões. E o atacante Copete retomará as atividades no gramado ao se recuperar da covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.