Reuters
Reuters

Após 300º gol, Neymar deixará seleção antes de ida à Venezuela

Jogador está suspenso por conta do segundo cartão amarelo

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2016 | 08h01

A permanência de Neymar com a seleção brasileira para a disputa destas duas rodadas das Eliminatórias para a Copa do Mundo está perto de acabar. Por ter recebido o segundo cartão amarelo no jogo desta quarta-feira contra a Bolívia, em Natal, o atacante do Barcelona vai cumprir suspensão na partida seguinte, diante da Venezuela, em Mérida, e será liberado do compromisso pelo técnico Tite.

Neymar, autor de um gol e duas assistências na vitória por 5 a 0 na Arena das Dunas, deve deixar a concentração brasileira na capital potiguar até no máximo sábado. "Essa questão da logística eu ainda vou conversar. Vou falar com o Barcelona, assim como com a família dele para ver qual horário é o melhor para que o Neymar viaje", explicou o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar.

A suspensão de Neymar o libera para participar da partida na rodada seguinte das Eliminatórias, contra a Argentina, no Mineirão. O atacante era um dos seis jogadores da seleção "pendurados" para o jogo com a Bolívia. Os outros eram Lucas Lima, Daniel Alves, Filipe Luís, Giuliano e Miranda. Nenhum deles recebeu cartão.

O atacante não quis conceder entrevistas na saída do vestiário da Arena das Dunas para comentar o gol 300º da carreira. O jogador deixou a partida no segundo tempo após ser agredido por um adversário e chegar a sangrar em campo. Willian, do Chelsea, foi quem entrou na vaga dele.

A saída de Neymar da delegação antes da viagem de domingo para a Venezuela resolve o problema de Tite para definir quem seria cortado para dar vaga a Paulinho, que cumpriu suspensão contra a Bolívia. Como o treinador convocou 24 jogadores para que o volante do Guanghzou Evergrande pudesse atuar na partida da próxima terça, teria que tirar alguém da listagem. A suspensão de Neymar, porém, acabou com a pendência.

"Agora estamos com um grupo de 23 jogadores, que é o número permitido para se ter na listagem para uma partida. Não temos a necessidade de cortar nenhum atleta lá na Venezuela", disse Edu Gaspar. O elenco da seleção ganhou folga nesta sexta-feira e retorna aos trabalhos neste sábado, também na Arena das Dunas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.