Após 35 anos, Racing é campeão

O Racing esperou 35 anos, mas finalmente voltou a comemorar título de campeão argentino. A ?Academia?, uma das equipes mais populares do país, conquistou o Torneio Apertura ? primeira parte da temporada de 2001-2002 ? ao empatar com o Vélez Sarsfield, por 1 a 1, no começo da noite desta quinta-feira, no campo do adversário. O zagueiro Loeschbor fez o gol histórico aos 8 minutos do segundo tempo, apesar do empate de Chirumbolo, aos 32. O River Plate bateu o Rosario Central por 6 a 1 e ficou em segundo lugar. O Racing dependia apenas de seu esforço para comandar a festa, pois entrou na 19.ª e última rodada da competição com 41 pontos, três à frente do vice-líder River Plate. Por isso, embora estivesse fora de casa, levou milhares de torcedores ao campo do Vélez, o Jose Amalfitani. Ao mesmo tempo, em torno de 40 mil fanáticos seguiam a partida de um telão instalado em seu estádio, o Juan Perón, em Avellaneda, cidade que fica na região da grande Buenos Aires. O primeiro tempo foi nervoso, o Racing pressionou, mas teve poucas oportunidades para marcar. O Vélez, que só não queria ser motivo de alegria para velhos rivais, tratava de defender-se. A insistência dos novos campeões deu certo aos 8 minutos da fase final. Em cobrança de falta, o zagueiro Loeschbor antecipou-se e desviou de cabeça. Desse momento em diante, o Racing procurou manter a vantagem, mas sem recuar. Ao mesmo tempo em que não descuidava da marcação, também explorava espaços para ir para o contra-ataque. As chances, no entanto, foram poucas. O mais importante era deixar o tempo passar. O Vélez assustou aos 32 minutos, quando Chirumbolo aproveitou falha enorme do zagueiro Vitale e empatou. O jogo ficou nervoso, o Racing prendeu a bola e segurou o resultado que pôs fim ao jejum de 35 anos de títulos domésticos. O clube ainda chegou a conquistar a Taça Libertadores da América e o Mundial Interclubes de 1967. O Racing comemora, assim, o renascimento, depois de enfrentar séria crise econômica, que o levou à falência em 1998. O clube só não fechou por decisão judicial, que o considerou ?bem inestimável? do país. A administração passou para grupo empresarial, que está colocando as finanças em ordem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.