Nicholas Kamm/ AFP
Nicholas Kamm/ AFP

Após 4º vice, Messi anuncia que não jogará mais pela Argentina

'Para mim, se acabou a seleção', afirma o craque após derrota para o Chile, na final da Copa América Centenário

O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2016 | 07h20

Após a quarta derrota em finais pela seleção argentina, o craque Lionel Messi anunciou, na zona mista do estádio em Nova Jersei, que não jogará mais pela albiceleste. "É um momento duro para analisar. A primeira coisa que vem na minha mente é o que está acontecendo. Para mim, se acabou a seleção. Foram quatro finais. Tentei o máximo, era o que mais desejava (ser campeão pela Argentina). É o que sinto agora, o que penso. É uma tristeza muito grande. Me tocou demais errar o pênalti", respondeu o camisa 10. 

Após empate por 0 a 0 nos 90 minutos regulamentares e também nos 30 minutos de prorrogação, a final da Copa América Centenário foi decidida nos pênaltis. Na primeira cobrança chilena, Romero defendeu a batida de Arturo Vidal. Messi, então, teria a chance de abrir o placar e colocar a seleção de Tata Martino na liderança. No entanto, chutou por cima do gol e o placar seguiu inalterado. Na quarta cobrança, Claudio Bravo defendeu a tentativa de Biglia e Silva confirmou o bicampeonato chileno. 

"É pelo bem de todos, por mim e por todo mundo. Muitos desejam isso. Não se conformam em chegar à final (e não vencer), e tampouco nós jogadores. Perdemos mais uma nos pênaltis. Minha cobrança me deixa muito bravo porque (se o convertesse) faria muita diferença. Tenho muita tristeza", completou Messi. 

A final deste domingo nos Estados Unidos foi a quarta perdida por Messi com a seleção argentina. Anteriormente, caiu também diante do Chile na Copa América de 2015 e para o Brasil, em 2007. No ano passado, não conseguiu superar a Alemanha na final da Copa do Mundo, no Maracanã. Se ainda não conquistou um título pela seleção principal, Messi foi medalha de ouro em Pequim-2008, a segunda do país no futebol em Jogos Olímpicos. 

A seleção argentina não conquista um título há 23 anos. A última taça levantada foi na Copa América de 1993, disputada no Equador. O título confirmou o bicampeonato continental, já que também levou a edição de 1991, no Chile. Desde então, a albiceleste participou de 16 torneios oficiais, chegou em sete finais e perdeu todas. Três delas foram diante do Brasil (Copas América 2004 e 2007 e Copa das Confederações de 2005). 

Na última quarta-feira, no dia seguinte à confirmação da vaga da Argentina na final e horas antes do Chile vencer a Colômbia na outra semifinal, Diego Maradona colocou pressão nos jogadores. Em programa especial em comemoração aos 30 anos do gol com a "mão de Deus", o "Pibe" afirmou que "claro que vamos ganhar domingo. E se não ganharmos, que os jogadores nem voltem (ao país)". Maradona comandou Messi na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Na ocasião, a seleção foi derrotada por 4 a 0 para Alemanha ainda nas quartas de final. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.