Vitor Silva/Divulgação
Vitor Silva/Divulgação

Após acordo, Justiça suspende penhora no Botafogo

Tribunal Regional do Trabalho autoriza o clube carioca a parcelar em 10 anos o pagamento de dívidas trabalhistas

Estadão Conteúdo

15 de janeiro de 2015 | 18h36

O Botafogo recebeu nesta quinta-feira uma boa notícia para atenuar sua grave crise financeira. O Tribunal Regional do Trabalho da 1.ª Região (TRT1) autorizou o clube a parcelar em 10 anos o pagamento de suas dívidas trabalhistas, que estão na casa dos R$ 200 milhões. Com a decisão, foi suspensa a penhora judicial que bloqueava praticamente todas as receitas do clube.

A autorização da Justiça veio graças a um Plano Especial de Execução. O acordo permite que o Botafogo faça depósitos mensais relativos a todos os processos em um juízo único, que por sua vez fica responsável por pagar os credores. Pelo plano estabelecido, o clube carioca terá que depositar até o dia 15 de cada mês o valor pré-fixado pelo presidente do TRT1, desembargador Carlos Alberto Drummond, que varia de R$ 750 mil nos três primeiros meses até R$ 1,8 milhão no último ano.

Segundo parecer da procuradora regional do Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) Deborah Felix, a medida se faz necessária para que o clube carioca consiga pagar seus cerca de 400 funcionários, além de assegurar o pagamento de credores.

"Não é uma defesa do patrimônio do Botafogo, mas sim uma forma de garantir a manutenção dos contratos ainda vigentes, os direitos trabalhistas desses empregados e o pagamento das dívidas nos processos trabalhistas", afirmou Deborah.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogodívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.