Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

Após acusação, Neymar ganha apoio de jogadores da seleção na Granja Comary

'Achei estranho', disse Fernandinho referindo-se ao tempo passado entre o suposto crime e a denúncia feita

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

02 de junho de 2019 | 15h34

Um dia depois de vir a público a acusação de estupro contra Neymar, jogadores da seleção brasileira procuraram manifestar solidariedade ao jogador do Paris Saint-Germain, neste domingo. Alguns foram discretos e cautelosos nos comentários, mas o volante Fernandinho afirmou que o atacante conta com apoio no grupo que está concentrado em Teresópolis (RJ).

O jogador do Manchester City disse estranhar a acusação. "Recebi (a notícia) com muita tristeza e achei estranho, 15 dias da viagem até a moça denunciar", disse Fernandinho. "Acredito que isso vai ser esclarecido o mais rápido possível, acredito na inocência do Neymar. No que depender de nós e da comissão técnica, vamos apoiá-lo para que isso não influencie dentro de campo."

Segundo Fernandinho, a acusação não irá contaminar o clima na seleção, que pelo menos até esse domingo era de trabalho e descontração. "Vamos fazer de tudo para que isso não interfira nos dias de treinos e jogos. Tomara que não só ele, mas todas as pessoas envolvidas possam separar bem os fatos."

Jogadores mais jovens do grupo, como Everton e Lucas Paquetá, procuraram não se alongar no assunto. "É [um assunto] totalmente pessoal do Neymar, então não tenho nada a declarar", resumiu Paquetá.

O atacante do Grêmio foi pelo mesmo caminho. "A gente prefere nem comentar esse assunto. É uma questão tão pessoal, tão íntima dele... A gente tá aqui para dar apoio no que ele precisar", disse Everton.

Depois, ele comentou as notícias envolvendo Neymar nos últimos dias. Primeiro, houve polêmica quanto à liberação antecipada do jogador junto ao PSG. Depois, as dores no joelho que o tiraram dos treinos com bola por dois dias. Agora, a acusação de estupro.

"Pelo nome que ele tem a gente sabe que qualquer notícia relacionada ao nome dele vai tomar proporções maiores", considerou Everton. "Acho que ele é bem preparado, bem maduro quanto a isso. Já sofreu tantas críticas, algumas até excessivas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.