Reprodução / Instagram
Reprodução / Instagram

Após acusações, Neymar esconde símbolo da Nike em foto com uniforme da seleção

Atacante considera ter sido 'traído' pela empresa, mas ainda tem que usar produtos dela no Brasil e no PSG

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2021 | 21h54

Em meio a litígio com a marca de produtos esportivos Nike, Neymar achou um jeito de esconder o logotipo da empresa em uma foto com a camisa da seleção brasileira, usando um emoji. Na última semana, o atacante do PSG foi acusado pela empresa de não colaborar numa investigação de assédio sexual que teria sido cometido por ele, o que teria levado ao rompimento do contrato; o jogador acusou a Nike de traí-lo e de tentar se vingar pelo fim da relação comercial com uma acusação absurda.

Apesar disso, Neymar continua tendo que usar produtos da empresa, já que a Nike patrocina tanto o Paris Saint-Germain quanto a seleção brasileira. Por isso, Neymar escondeu o logotipo da fornecedora na camisa e no calção em uma foto do treino desta tarde da equipe comandada por Tite. "Que nada e ninguém tire o meu sorriso", escreveu.

Em nota oficial divulgada na última sexta, Neymar já havia comentado sobre a necessidade de seguir usando produtos da Nike. "Ironia do destino, continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu", afirmava em trecho do comunicado.

O jornal norte-americano Wall Street Journal publicou na última quinta-feira (27/5) uma reportagem na qual revelava que o contrato de Neymar com a Nike teria sido encerrado após a acusação, apesar de ainda ter mais oito anos de validade. O jogador teria tentado forçar uma funcionária da empresa a fazer sexo oral nele em seu quarto de hotel durante uma viagem a Nova York em 2016. Ela coordenava a logística dos eventos nos quais o atacante participaria.

Neymar se pronunciou no dia seguinte, e classificou as acusações como absurdas, mentirosas, e fruto de uma tentativa da empresa de "se vingar" dele por ter assinado com a Puma em 2020. A própria Puma não comentou sobre o tema, enquanto o coordenador técnico da CBF, Juninho Paulista, afirmou que ele se mostrava tranquilo e focado nos jogos da seleção contra Equador e Paraguai pelas Eliminatórias Sul-Americanas. A Nike afirmou que o caso ainda está sob investigação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.