José Patricio/Estadão
José Patricio/Estadão

Após adiamento, Paolo Guerrero deve ser operado nesta quinta

Crise de pânico fez médicos adiarem a cirurgia no metatarso esquerdo do atacante

Fábio Hecico, Agência Estado

23 de outubro de 2013 | 19h29

SÃO PAULO - Guerrero seria operado nesta quarta-feira, para corrigir uma fratura no quinto metatarso do pé esquerdo, mas teve uma crise de pânico, obrigando os médicos do Corinthians a adiar a cirurgia. O atacante peruano lembrou de um processo cirúrgico complicado ao qual foi submetido em 2009, nos Estados Unidos, e se desesperou. Agora, o procedimento deve acontecer nesta quinta. "Provavelmente a cirurgia aconteça nesta quinta-feira", disse o consultor médico do Corinthians, Joaquim Grava, que será o responsável pela operação no pé de Guerrero. "Vamos ver se ele acorda mais tranquilinho, já que hoje (quarta=feira) ficou apavorado, com uma crise de medo, ao relembrar da anestesia geral que recebeu em 2009 e da qual não acordava."

Em 2009, Guerrero defendia o Hamburgo, da Alemanha, e precisou ser operado após romper os ligamentos do joelho esquerdo. O procedimento aconteceu nos Estados Unidos e até hoje causa calafrios no jogador pela demora em acordar após receber anestesia geral. Agora, porém, Joaquim Grava explica que a cirurgia no pé do atacante corintiano é mais simples e rápida. A previsão dos médicos é de que a recuperação de Guerrero seja de 45 a 50 dias. Assim, ele só voltará a jogar na próxima temporada. Para isso, no entanto, precisa passar pela cirurgia. Segundo Joaquim Grava, se a operação não acontecer e se for adotado o tratamento convencional, o peruano ficaria até quatro meses sem poder jogar.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.