Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Após ano em branco, diretoria do Corinthians nega erro de planejamento

Roberto de Andrade vê pouca diferença entre equipes de 2015 e 2016

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2016 | 18h39

O Corinthians termina 2016 com quatro técnicos diferentes ao longo da temporada, sem título e vaga para a Libertadores, mas o presidente Roberto de Andrade não acredita que tenha falhado no planejamento da equipe para a temporada. O dirigente disse que não fez nada de diferente em relação ao ano passado, quando o clube sagrou-se campeão brasileiro.

"De 2015 para 2016 não fizemos nada diferente. A exceção é que o time de 2015 foi campeão e o deste ano, não. Oscilamos muito e ficamos num lugar na tabela que não deveria. Futebol não é uma conta exata, é prática. Se a bola não entra, não tem o que fazer e não tem como ganharmos todo ano. Nenhum clube do mundo consegue isso", afirmou o dirigente, que anunciou nesta quinta-feira a demissão do técnico Oswaldo de Oliveira.

O dirigente culpou as diversas saídas de jogadores no início do ano como o motivo para a queda de produtividade da equipe na temporada. Como o time não foi bem, a tendência é que poucos jogadores sejam negociados agora. "Quando você ganha títulos, chama atenção e atrai interesse de outros clubes com grande poderio financeiro. Acredito que esse ano não acontecerá isso", projetou.

A saída de Oswaldo e a procura por um novo treinador não deverá, segundo o presidente, atrapalhar o planejamento da equipe para a próxima temporada. A ideia da diretoria é buscar reforços - independentemente de quem for contratado para dirigir a equipe no ano que vem.

"Temos comissão técnica e as negociações continuam andando. Sabemos das posições que temos carência, independente da chegada de um novo treinador. Os jogadores que estamos vendo, se tivermos sucesso nas negociações, serão importantes para o clube e ajudarão bastante", explicou.

Até o momento, o Corinthians tem dois nomes certos para o ano que vem. Os atacantes Luidy, que estava no CRB, e Jô, sem clube. A diretoria ainda procura por mais cinco jogadores, pelo menos. Seriam dois zagueiros, um volante, um meia e mais um atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.