Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS
MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS

Após assassinato, diretores da Mancha Alviverde devem renunciar a cargos

Organizada anunciou nas redes sociais que pretende reestruturar postos de comando e gestão

Estadao Conteudo

10 de março de 2017 | 12h18

A Mancha Alviverde, principal organizada do Palmeiras, comunicou nesta sexta-feira em nota nas redes sociais o plano de reestruturar o comando e a gestão da uniformizada depois do assassinato na última semana de um de seus fundadores, Moacir Bianchi. A atual diretoria da torcida se comprometeu a assinar a renúncia dos cargos para que um novo comando assuma e retome as atividades da agremiação, fundada há 34 anos.

A sede da torcida, localizada nos arredores do Allianz Parque, teve a pintura alterada para cinza nos últimos dias. A fachada também perdeu o mascote e permaneceu fechada. "Em breve, iremos comunicar o reinício e o seguimento das atividades da nossa torcida, através da nota oficial no site e nas rede sociais", diz trecho da nota da torcida. No dia do assassinato de Bianchi, a uniformizada anunciou o encerramento das atividades, porém voltou atrás dois dias depois.

O crime foi na madrugada do dia 2, em emboscada no bairro do Ipiranga. Moa, como era conhecido, teve o veículo fechado por dois carros e levou 16 tiros. A polícia tem investigado as causas do assassinato com base em imagens das câmeras de segurança da rua e também em depoimentos. Um dos convocados a prestar esclarecimentos foi o atual presidente da Mancha, Anderson Nigro, o Nando.

"Estamos trabalhando com cautela para que os erros não sejam repetidos, e que voltemos a ser a Mancha de todos, uma torcida forte, presente nos estádios, com representatividade e respeito ao associado", afirma o texto publicado pela torcida. "Diante de tudo que está acontecendo, é evidente que não há outro caminho para o ressurgimento da entidade", acrescenta a nota.

Neste sábado, horas antes do clássico com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, membros da torcida vão fazer uma passeata em memória de Bianchi no local do assassinato. Os torcedores irão se encontrar ao meio-dia, vestir roupa branca e de lá sairão para pegar o transporte público até o Allianz Parque, local da partida.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMancha VerdePalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.