Após atacar Globo, Andrés acusa Juvenal de vazar vídeo

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, atacou Juvenal Juvêncio, neste sábado, ao acusar o mandatário do São Paulo de ter vazado um vídeo na qual o dirigente do time do Parque São Jorge chama a TV Globo de "gângster" durante uma reunião do Clube dos 13.

AE, Agência Estado

21 de maio de 2011 | 17h02

"Eu sabia que o Juvenal era prepotente, metido, mas não sabia que ele era ?cagueta? (espécie de informante ou delator)", afirmou Andrés, que depois apontou quem denunciou Juvenal pelo ato que o presidente são-paulino teria cometido. "Não sou eu que acho que ele (Juvenal) vazou, o Ataíde (Gil Guerreiro, diretor-executivo do Clube dos 13) confirmou."

Andrés atacou a Globo durante uma assembleia do Clube dos 13, na qual ele discursou para membros da entidade e também admitiu ser um aliado de Ricardo Teixeira, presidente da CBF. "Sou amigo do Ricardo Teixeira mesmo, sou amigo da Globo mesmo, apesar de ser ''gângster''", disse o dirigente, durante um trecho de sua explanação, que arrancou risos dos que a presenciaram de perto.

Andrés e Juvenal estiveram em lados opostos durante a briga pelos direitos de transmissão de TV do Campeonato Brasileiro. O primeiro deles apoiou a Globo, enquanto o são-paulino defendeu o modelo de negociação do Clube dos 13. Com sua força política, o dirigente corintiano ajudou a atrair a maioria dos times da elite do País, que se uniram à emissora.

Bem antes deste episódio, porém, os dois mandatários já trocavam farpas por outros motivos, como por exemplo os que envolvem a escolha do estádio de São Paulo para a Copa do Mundo de 2014. Aliado de Teixeira, Andrés conseguiu fazer do futuro estádio do Corinthians o palco paulista da competição, enquanto o Morumbi foi descartado pela Fifa da competição.

Ao falar sobre o futuro estádio corintiano, Andrés negou que o custo da obra poderá chegar a R$ 1 bilhão, conforme chegou a ser cogitado, tendo em vista as exigências da Fifa para que o local pudesse receber o jogo de abertura da Copa de 2014. O dirigente assegurou que o orçamento atual prevê um custo de R$ 700 milhões.

O Corinthians obteve, no sábado passado, a última licença que precisava da Prefeitura de São Paulo para iniciar as obras do estádio que será construído em Itaquera, na zona leste de São Paulo. "Acredito que na terça, mais tardar na quinta, as obras vão começar em Itaquera", afirmou Andrés neste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.