Julien Warnand/EFE
Julien Warnand/EFE

Um ano após ataque cardíaco em campo, jovem jogador do Ajax acorda do coma

Irmão de Abdelhak Nouri revela que condição neurológica do atleta melhora e ele consegue se comunicar através de gestos

Estadão Conteúdo

21 Agosto 2018 | 13h14

Abdelhak Nouri, atualmente com 21 anos, acordou do coma e está se comunicando com a família, segundo um irmão do jogador. O atleta teve um ataque cardíaco durante um amistoso de pré-temporada do Ajax contra o Werder Bremen em julho de 2017, o que o levou a sofrer dano cerebral e ficar em coma por um ano.

"A condição neurológica dele é muito melhor do que alguns meses atrás. Fisicamente, é difícil, ele não move o corpo, apenas a cabeça, mas algumas vezes sai da cama para sentar na cadeira de rodas. Você pode se comunicar com ele. Ele sofreu muitos altos e baixos, mas sua consciência está um pouco melhor. Algumas coisas, como abrir a boca e mover os olhos, ele consegue fazer se você pede", afirmou o irmão do atleta, Abderrahim, à televisão holandesa NOS.

Nouri sofreu um mal súbito durante o amistoso. Ao sofrer o ataque, o cérebro do jogador sofreu com a falta de oxigênio, o que causou danos cerebrais permanentes. No início, os médicos tiveram esperança com o progresso apresentado pelo atleta, mas depois foi diagnosticado que o dano cerebral sofrido pelo jovem, que tinha 20 anos na época, era irreversível. Agora, o atleta volta a iniciar uma recuperação, mas não há como saber até que ponto poderá retomar sua vida.

A família afirma que o socorro prestado ao atleta não foi adequado, o que foi reconhecido pelo Ajax posteriormente. O clube afirmou que um desfibrilador deveria ter sido utilizado anteriormente. Por isso, os familiares exigem uma indenização do time.

Nouri era uma das grandes esperanças do futebol holandês. Ele tinha 15 jogos pelo time principal do Ajax, com um gol marcado. Além disso, passou por todas as categorias de base da seleção da Holanda e tinha 19 partidas com o time sub-19 do país. Apesar da melhora recente, Nouri infelizmente não deve voltar ao futebol.

O atleta é constantemente homenageado pelos torcedores na Johan Cruyff Arena, estádio do Ajax, com bandeirões. Outro belo gesto foi feito pelo ex-companheiro de time, Justin Kluivert, que pediu a camisa 34 ao se transferir para a Roma, em tributo a Nouri.

 
Mais conteúdo sobre:
futebol Ajax Abdelhak Nouri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.